Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1 de Maio empata e complica Desportivo

Jlio Gaiano, em Benguela - 01 de Agosto, 2016

A equipa treinada pelo professor Hlder Teixeira apresentou-se aptica sem conseguir gerir a vantagem construda no minuto

Fotografia: Jornal dos Desportos

A falta de eficácia aliada à imaturidade dos atacantes proletários foi determinante no desfecho, até certo ponto negativo, da contenda que esteve ao seu alcance. O empate diante do Desportivo da Huila colocou a nu aquilo que até ontem constituía mistério. O 1º de Maio de Benguela vai de mal a pior e com fortes indícios de vir a soçobrar numa competição em que aos poucos se revela num autêntico animador de festa.

No desafio realizado ontem, no estádio municipal Edelfride Palhares da Costa “Miau” isso foi sintomático. A equipa treinada pelo professor Hélder Teixeira apresentou-se apática, não conseguiu gerir a vantagem construída no minuto 4, por intermédio de Dino. Deixou-se empatar nos últimos 10 minutos, numa altura em que o adversário tomou conta das operações do jogo.

Os comandados de Ivo Raimundo Traça remeteram os proletários à defesa de onde saíam com muitas dificuldades para a contra-ofensiva. Nadinho, aos 80 minutos, num lance aparentemente inofensivo, esgueirou-se na grande área e atirou a contar, para a tristeza de milhares de adeptos afecto ao 1º de Maio que, a partir das bancadas assistiam impávidos e serenos, a mais um deslize dos encarnados da rua Domingos do Ó.

Na realidade, foi um golo que acabou por repor a justiça no marcador, numa partida em que o domínio acabou repartido, com os anfitriões a assenhorarem-se nos primeiros 45 minutos e os visitantes a revelarem-se mais atrevidos na segunda metade da contenda. Daí o conformismo das duas partes pela repartição do ponto.

A actuação da equipa da arbitragem dirigida pelo internacional Hélder Martins foi impecável. Mostrou trabalho e acabou por aparecer despercebida ao longo dos 90 minutos do jogo, pelo que merece da nossa parte a distinção positiva.

OPINIÕES

Hélder Teixeira (1º de Maio)
“Empate com sabor à derrota”


“Realizamos um mau jogo. Poderíamos ter feito melhor não fosse a apatia que os meus jogadores demonstraram, sobretudo, na segunda parte. Por isso, considero um empate com sabor a derrota. Ainda assim, valeu um ponto que dois a voarem”.


Ivo Traça (Desportivo da Huila)
“A repartição  foi justa”


“Valeu o empate aqui conseguido. A minha equipa entrou mal no jogo e na segunda parte conseguimos acertar e melhorar nalguns aspectos táctico e que resultou num empate que ate certo ponto premiou o esforço que empreendemos. Por isso, sem rodeios, digo que foi um resultado justo por aquilo que as duas equipas apresentaram em campo.”