Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1 de Maio minimiza porta fechada

Jlio Gaiano, em Benguela - 19 de Maio, 2018

O vice-presidente para área Jurídica do Estrela Clube 1º de Maio de Benguela, Vitorino Visele, garantiu que a equipa está bem e concentrada para receber e vencer, amanhã, a partir das 16h00, no Estádio O’mbaka, o 1º de Agosto apesar de reconhecer que o empate serve para os interesses da colectividade.

“Vamos defrontar uma equipa forte em todos os aspectos em comparação com o 1º de Maio. É só um potencial candidato à conquista do título, mas nem por isso, assusta os nossos objectivos. Aliás, a nossa equipa está bem do ponto de vista físico e moral. Está compenetrada para a contenda deste domingo. Trabalhou o suficiente para produzir um bom resultado”, precisou.

O também porta-voz do clube lembrou que o facto de o jogo ser realizado à porta fechada para o público, o clube cumpriu com os procedimentos básicos para uma boa organização , mobilizando a Policia Nacional, os serviços do INEMA, para além dos Serviços de Protecção e Asseguramento de Bombeiros. 

“À par destas instituições, temos os serviços privados de segurança para reforçar o asseguramento no local do estádio”, disse confiante num desfecho airoso na recepção ao campeão em título. 

O Jornal dos Desportos apurou que a direcção da FAF indeferiu o pedido dos proletários, para realizarem os dois jogos a porta fechada no Estádio Edelfride Palhares da Costa (Miau), em função da sanção imposta pelo Conselho de Disciplina.

“Apesar de ser disputado à porta fechada, trata-se de um jogo de risco e, nisso, tudo pode acontecer. A FAF agiu bem ao negar a solicitação do 1º de Maio de Benguela. Afinal, a questão não é só punitiva, mas a salvaguarda à integridade física e psicológica dos jogadores, árbitros, dirigentes e, inclusive, aos jornalista que aí estarão para trabalhar (…)”, reparou o secretário-geral da Associação de Futebol de Benguela (APFB), Laurentino Alberto, que aproveitou para  advertir o público a retirar a ilação que se impõe.