Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1 de Maio perde na secretaria

Betumeleano Ferro - 29 de Agosto, 2019

Deciso da penalizao do Maio pode constar no comunicado oficial a ser tornado pblico nos prximos dias

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

O Conselho de Disciplina da FAF atribuiu derrota por falta de comparência ao 1º de Benguela, no jogo que deveria disputar diante da Académica do Lobito, referente à primeira jornada do Girabola Zap 2019/2020, revelou José Carlos da Silva, presidente do referido órgão federativo, ao Jornal dos Desportos.
A decisão que penaliza os proletários e beneficia os estudantes, poderá constar já no comunicado oficial Nº. 35/SG/19, que vai ser tornado público a qualquer momento, assegurou o presidente do Conselho de Disciplina da FAF. O Conselho de Disciplina há muito que já tinha em mente o que faria com os proletários, mas alguns imprevistos atrasaram a chegada da prova, que se pretendia para anunciar o castigo.
\"O boletim de jogo só demorou a chegar à nossa mão, agora que essa situação está ultrapassada, a nossa deliberação agora já vai poder constar no comunicado dessa semana\", garantiu.
O atraso na chegada do boletim acabou por originar algumas especulações, contudo, o presidente José Carlos da Silva esclareceu, que nunca houve intenção do Conselho de Disciplina em colocar o 1º de Maio de Benguela num patamar diferente ao do Santa Rita de Cássia FC do Uíge. O castigo dos católicos saiu no último comunicado oficial, mas o dirigente realçou que de modo algum existem motivos, para concluir que o Conselho de Disciplina agiu com dois pesos e duas medidas.
 \"Não houve nem lapso, nem tratamento especial para com ninguém\", refutou.
A camisola do 1º de Maio de Benguela e do Santa Rita valem a mesma coisa para o Conselho de Disciplina, é por isso que José Carlos da Silva afirmou que o ligeiro atraso de dias entre um castigo e outro não vai mudar o tipo de castigo.
\"Não podíamos fazer nada contra o 1º de Maio sem o boletim de jogo, o material chegou tarde, então, não podíamos fazer sair o castigo sem termos esse material em mão, aqui não há outro tipo de tratamento senão averbar derrota por falta de comparência\", enfatizou.
A não realização do dérbi benguelense levantou muitos protestos pela província afora, mas o presidente José Carlos da Silva lembrou que nada aconteceu por mero acaso, por conseguinte, o Conselho de Disciplina agiu sem dar motivos de queixa aos proletários. \"É por isso que tiveram de ser cumpridas todas as formalidades em campo\", afirmou em alusão ao comportamento da equipa de arbitragem indicada para ajuizar o 1º de Maio de Benguela - Académica do Lobito.
Os proletários deveriam jogar em casa na primeira jornada do campeonato com os estudantes, mas o dérbi acabou por não se realizar, porque o Conselho de Disciplina deliberou contra o 1º de Maio, por não acatar os sucessivos avisos para \"pagar e fazer prova de pagamento das dívidas existentes entre o clube e os seus ex-agentes desportivos (atletas, dirigentes e outros colaboradores)\".