Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1º de Maio surpreende Kabuscorp

Manuel Neto - 30 de Abril, 2017

O Kabuscorp levantou a cabeça e procurou puxar dos galões no sentido de chegar ao sofrido empate

Fotografia: José Soares

O  Kabuscorp do Palanca  atrasou-se  na  luta pelo  título ao consentir ontem em casa um empate a dois golos diante da aflita, ma aguerrida equipa do 1º de Maio de Benguela. 
  
O 1º de Maio agora moldada  a Agostinho Tramagal, apesar de ter vindo de uma copiosa derrota diante do Sagrada Esperança, por 4-2, não se inibiu  frente ao Kabuscorp  até ontem co-líder do Girabola.

Os proletários bateram  o pé  ao teórico favorito ao jogo. Pressionaram  nos minutos iniciais cortando todas as linhas de passe do adversário, deixando a turma do Palanca sem ideias.

 Surpreendido com a forma elegante como o 1º de Maio desbobinava o seu futebol, parecia que a bola queimava os pés dos visitados que não encontravam soluções para saírem da armadilha que os comandados de Tramagal  criaram.

 Neste andar os benguelenses tiraram melhor proveito da sua ascensão no jogo, marcando um  golo de belo efeito por intermédio de Caporai que aproveitou bem uma falha do guardar redes Elber, quando decorriam  11minutos de jogo.

Quando esperava-se por uma reacção  dos palanquinos , foi o 1º de Maio que mais uma vez imprimiu  velocidade ao jogo,  embora os seus dianteiros   não  atinassem com a baliza.

O Kabuscorp levantou a cabeça, procurou puxar dos galões e mesmo não praticando o seu  futebol  habitual chegou ao empate  aos 20 minutos por Lami que  dentro da área  não desperdiçou um passe adversário e foi letal. O 1º de Maio não acusou o  golo sofrido manteve a sua qualidade de jogo e mais uma vez numa bela jogada, Caporai   aos  40 minutos desfez a igualdade, resultados  que os  levou ao  intervalo.

SEGUNDA PARTE

Do descanso  regressaram duas equipas  com  ambições diferentes, ou seja o 1º Maio confiante na vitória e o Kabuscorp disposta a chegar no mínimo ao empate.

Ansiosos  para chegarem à igualdade, os palanquinos não conseguiam fazer um bom jogo. O 1º de Maio acreditava  cada vez mais que a vitória era um facto mas a experiencia   da turma de Filemon  se fez sentir alguns minutos depois e aproveitando bem o ligeiro recuo do adversário, foram pressionando com intermitência  e aos  72 minutos Luís Tati que veio do  banco  repôs a igualdade resultado que não foi suficiente para evitarem  a surpresa em casa.


OPINIÃO DOS TÉCNICOS


Quim Manuel (Kabuscorp)
“Foi para nós um
resultado negativo”

\"Foi um resultado negativo, esperávamos por uma vitória mas infelizmente não foi possível. O futebol tem dessas coisas. Alias tínhamos em mente que o jogo não seria difícil e na primeira arte sentimos isso, a equipa não jogou bem mas na segunda melhoramos , não foi possível ganhar  e só temos que continuar a trabalhar para o próximo jogo\".

Tramagal (1º de Maio)
“Parabéns aos meus
atletas pela atitude”

“Ao longo da semana trabalhamos para ganhar, mas infelizmente não conseguimos. Viram que o primeiro golo do adversário foi por culpa nossa, uma balda da nossa defesa. Mas ainda assim, levamos um ponto importante para as nossas aspirações. Sabemos que a nossa missão será muito difícil  nesta prova , mas vamos lutar. Em suma dou os meus parabéns aos aletas que foram valentes em campo”.


ARBITRAGEM
Trabalho regular


A equipa de arbitragem  encabeçada por António Caxala  teve uma postura aceitável,  alias, a forma disciplinada como as duas equipas apresentaram-se em campo, limitando apenas no trato da bola com elegância, veio facilitar ainda mais a actuação o trio de árbitros. Os  auxiliares comunicavam-se com o chefe de forma  atenta e fácil. Alias foi um verdadeiro jogo de equipa que acabou por acrescentar alegria a grande festa da bola  que ocorreu no velho Estádio dos Coqueiros. 


MELHOR EM CAMPO
Doutor Lamy
tem soluções


Dr Lami do Kabuscorp , foi o mais inconformado em campo, esteve  bem na luta pela posse da bola e quando a tinha no pé distribuía aos colegas com destreza. Foi igualmente um grande suporte defensivo mas é verdade que quando  partia para o ataque  era uma seta letal apontada a baliza adversária. Esta qualidade  patenteada  ao longo do jogo lhe  valeu o golo  que ditou a primeira igualdade na partida 1-1 e por conseguinte contribuiu bastante para o empate final.