Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

" Caloteiros" fora do Girabola

Paulo Caculo - 29 de Setembro, 2018

Federao Angolana vai cumprir com as exigncias da FIFA

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os clubes que vão competir no Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão,Santa Rita de Cássia, Bikuku FC e Atlético Sport Aviação (Girabola Zap), com dívidas por pagar a atletas ou a treinadores, vão ser impedidos de disputar a época 2018/19, soube-se de Jeremias Simão, presidente do Conselho Técnico Desportivo da Federação Angolana da modalidade (FAF).
De acordo com o responsável federativo, a Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA) é exigente relativamente às equipas devedoras, razão por que a FAF vê-se na obrigação de cumprir com as orientações do órgão que superintende o futebol mundial, sob o risco de sofrer sanções.
Em face disso, as equipas com dívidas devem nos próximos dias liquidar as contas ou negociar com as pessoas visadas, de formas a que não sejam impedidas de disputar a competição, já que a FIFA não abre contemplações à situações do género.
O caso de dívidas contraídas pelos clubes está a ser tratado pelo Conselho de Disciplina da FAF, que nos próximos dias deve divulgar a lista definitiva dos clubes que estejam na condição de devedores.
Contudo, o comunicado do passado dia 20 do corrente, faz menção que constam da lista as formações do Atlético Sport Aviação (ASA), Kabuscorp do Palanca, FC Bravos do Maquis, Recreativo do Libolo, Sporting de Cabinda e o Recreativo da Caála. O Petro de Luanda foi retirado da mesma, após fazer parte da primeira divulgação da FAF.
Paralelamente a isso, é exigência que no acto de registo da equipa principal, com vista o Girabola Zap, é obrigatória a inscrição dos escalões de jovens, com destaque para os clubes engajados nas competições africanas.
Atlético Sport Aviação (ASA), Santa Rita de Cássia do Uíge e Bikuku FC da Lunda- Sul são as equipas promovidas ao Girabola Zap 2018/2019 e que se juntam a Académica do Lobito, FC Bravos do Maquis, Kabuscorp do Palanca, Desportivo da Huíla, Sporting de Cabinda, 1º de Agosto, Desportivo da Huíla, Petro de Luanda, Progresso do Sambizanga, Cuando Cubango FC, Recreativo do Libolo, Sagrada Esperança e Recreativo da Caála.
Enquanto isso, o director para o futebol do Petro de Luanda, Sidónio Malamba, sugeriu a divulgação dos relatórios de árbitros no final de cada jogo, sustenta haver situações em que jogadores e técnicos são punidos sob justificações apresentadas pelos juízes que não correspondem à verdade.
A posição do dirigente tricolor foi corroborada pelo presidente do Conselho de Arbitragem da FAF, Mário Jorge Fernandes, que prometeu estudar a proposta.
O líder dos árbitros assegurou, ainda, que passa a haver duras penalizações aos dirigentes, técnicos e atletas que proferirem críticas públicas à Federação ou aos seus órgãos, ao mesmo tempo que admitiu a possibilidade de aceder ao pedido do Petro, para que os castigos de atletas e outros transitem para a época seguinte.
O campeonato nacional começa a 27 de Outubro e encerra a 31 de Maio de 2019.