Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

hora de acertar as contas

Srgio V. Dias - 19 de Maio, 2018

Petrolferos e palanquinos procuram alcanar a segunda posio do campeonato nacional

Fotografia: Kindala Manuel /Edies Novembro

A revelar um período de bonança no campeonato o Petro de Luanda defronta esta tarde, no Estádio Nacional 11 de Novembro, o Kabuscorp do Palanca, em desafio de acerto à sexta jornada da competição. Os tricolores partilham nesse momento os mesmos 21 pontos que o 1º de Agosto e podem, em caso de triunfo sobre os palanquinos, isolar-se na segunda posição na eventualidade dos militares não vencerem amanhã em Benguela.  

A equipa orientada por Beto Bianchi tem pela frente um adversário que ocupa o sexto posto e continua com o orgulho ferido devido os seis pontos retirados pelo órgão reitor do futebol mundial face o diferendo entre o clube e o ex-craque brasileiro Rivaldo.

Não obstante, o litígio com o ex-campeão mundial pelo escrete-canarinho, que ameaça levar o caso da dívida de 750 mil dólares ao extremo, a turma do bairro Palanca vai tentar extorvar os intentos dos tricolores. Os três pontos \\\"roubados\\\" à Académica do Lobito, no Estádio do Ombaka, no pretérito fim de semana, animam a confiança dos comandados de Sérgio Traguil, que podem, em caso de vitória, ascender também ao segundo posto isoladamente, ainda que à condição. Como se pode decifrar aqui o objectivo de vencer é um imperativo que o Petro de Luanda e o Kabuscorp do Palanca carregam neste jogo de acerto à sexta jornada.

No historial dos dérbis entre essas duas equipas regista-se um certo equilíbrio nos resultados. Os dois conjuntos venceram em seis ocasiões e empataram em sete. Petrolíferos e palanquinos têm condições para protagonizar esta tarde uma agradável partida de futebol.

A qualidade dos respectivos plantéis reúne condições e são capazes de levarem ao delírio os milhares de adeptos que se farão presente no Estádio 11 de Novembro. E mais ainda: os dérbies entre estas equipas estão sempre rodeados de grande expectativa, a julgar pelos objectivos que perseguem.

Do lado tricolor jogadores como Tiago Azulão, Herenilson, Tony, Diney, Carlinhos e outros têm-se assumido como verdadeiros “abonos de família”, ao passo que do lado contrário Doctor Lamy, Nary, Libero e Magola têm o condão de desiquilibrador. 

Noves fora, o Petro de Luanda a par do seu arqui-rival 1º de Agosto, entra sempre nas contas desta competição rotulado como candidato ao título, daí que hoje diante do Kabuscorp vai tentar justificar esse estatuto, somando mais uma vitória.

Aliás, nos três últimos jogos que a equipa do \\\"Catetão\\\" disputou para o Girabola conquistaram sete pontos, mercê do um empate nulo no Lubango, frente ao Desportivo da Huíla, e das vitórias sobre o Interclube, no 22 de Junho, e Sagrada Esperança, no Dundo.

Já os palanquinos, que pela voz do seu presidente de direcção, Bento Kangamba, reassumem também a pretensão de chegar ao título obtiveram além do triunfo de 3-1 sobre a Académica do Lobito, sábado passado, na 14ª ronda derrotaram o FC Bravos do Maquis, nos Coqueiros, e empatou na deslocação a Benguela diante do 1º de Maio.

Portanto, tricolores e palanquinos defrontam-se hoje com a particularidade de alcançarem um percurso semelhante nos três jogos que realizaram para as rondas 13, 14 e 15 da maior prova do futebol nacional. Ou seja, empate extramuros, triunfo em casa e outro fora.