Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

A hora da verdade

Betumeleano Fero - 01 de Setembro, 2018

1 de Agosto depende de si para erguer o trofu enquanto o Petro de Luanda aguarda pelo deslize do concorrente

Fotografia: Jose Cola| Edies Novembro

O jogo dos jogos, para o 1º de Agosto e o Petro de Luanda, no Girabola ZAP 2018, vai acontecer amanhã, mas o ambiente já é de euforia e de um certo nervosismo. Militares e tricolores aguardam os resultados da derradeira jornada, para fazerem o balanço interno.
A coroação parece iminente para o campeão, em título, que está com todas as fichas para reerguer o troféu, por isso, só depende de si. Do lado oposto, está o rival a torcer para que o passo em falso, seja o mal que vem para o bem.
O pontito de vantagem é suficiente para o 1º de Agosto sentir-se confortável, diante do Cuando Cubango FC, este domingo às 15h00, no Estádio 11 de Novembro. Entretanto, para a confirmação podem faltar mais dois pontos, motivo por que os militares têm de centrar as atenções na vitória,  o empate pode impedir à revalidação, sobretudo, se o Petro de Luanda vencer o Sagrada Esperança.
A diferença de potencial, entre o campeão e o primodivisionário, faz que muita gente acredite que o título já está entregue. Até certo ponto, a teoria está certa, contudo, venha a hora do jogo para aferir como vai ser a prática,  o dia em que os rubro - negros podem fazer tudo menos falhar.
Com uma mão no caneco, os militares só precisam de fazer o derradeiro esforço, para a consagração. Ninguém, está em melhores condições para terminar no topo, por isso, é normal esperar que o 1º de Agosto consiga controlar a ansiedade e abrir o champanhe no final do jogo.
O \"caloiro\", no Girabola, está na fase do lucro. Surpreendeu pela excelente campanha e pela réplica que deu aos mais cotados na bolsa de favoritos, é ponto assente que uma vitória diante do último adversário desta época, pode ser o verdadeiro feito de todo o campeonato. Ainda mais, se o inesperado triunfo tiver influência na decisão do campeonato.
A precisar, no mínimo, de um empate do concorrente, o Petro de Luanda tem de provar que é o cão capaz de levar dois ossos ao mesmo tempo, e que vai fazer pela vida para derrotar o Sagrada Esperança à mesma hora, no Estádio 22 de Junho. É ponto assente que vai ficar à espera do inesperado, até pode ser um empate, no jogo do concorrente.
Os tricolores sabem que vão jogar com o improvável e a bem da verdade dependem também de ajuda, para terminarem em primeiro. O que se espera deles, é que cumpram a sua obrigação, para que no final, possam ter como dizer que fizeram tudo que esteve ao seu alcance. Antes de pensar no desfecho da partida, é determinante que consigam marcar o que for necessário, para somar e tentar ser campeão.
E, se o 1º de Agosto marcar primeiro? Essa, é uma pergunta a que o Petro tem de estar preparado para responder. Afinal, todos sabem que todos os cenários podem acontecer, então, os tricolores não podem esmorecer ao mínimo sinal de vantagem do rival, a menos que a artilharia militar provoque um buraco enorme no placar, e leve qualquer um a concluir que o jogo do Estádio 11 de Novembro está sentenciado.
A chance de ser campeão é reduzida para a equipa orientada por Beto Bianchi, mas enquanto a chama não se apagar, têm de correr todos os riscos para conseguir estar em vantagem diante dos diamantíferos. Entregarem-se sem luta, é o que os adeptos não querem, embora, todos estejam cientes de que tudo depende de uma escorregadela do campeão.
Sem que ninguém contasse com desfecho tão dramático, o Sagrada Esperança, de repente, começou a justificar o nome. Depois de adiar a consagração, antecipada, do 1º de Agosto, os lundas voltam a ser tidos e achados nas contas do título. Se repetirem a eficácia do jogo passado, o 11 de Novembro vai entrar em ebulição, como da outra vez, só que agora, a festa vai ser pintada de rubro -negro.