Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

A luta continua

29 de Abril, 2019

1 de Agosto com trs golos marcados mostrou que evitar facilidades at conquista do ttulo

Fotografia: Agostinho Narciso | Edies Novembro

O 1º de Agosto deu ontem mais um passo importante rumo á conquista do campeonato ao vencer ontem de forma suada o Bravos do Maquis, por 3-0, embora o resultado possa evidenciar facilidades durante o jogo que contou para a 28ª jornada.
Com a pretensão de continuar a pontuar, olhando, obviamente, para o seu adversário, Petro de Luanda, que regressou do Uije com uma vitória, a equipa militar entrou no jogo determinado a  marcar logo de início. Pressionou, teve seis oportunidades contadas para "facturar" e golear na primeira parte, mas a equipa visitante portou-se bem nestas investidas militares.
Mas, nem por isso a equipa de Zeca Amaral cruzou os braços. também ripostou, mas, o 1º de Agosto soube defender-se para não comprometer o que traçou, pois, de contrário, já pressionado pela vitória do Petro, comprometeria as contas que está a fazer, no sentido de manter a vantagem de quatro pontos.
Tony Cabaça, guarda-rédes militar, esteve em dia sim. Safou a equipa do golo, embora, sobre si o árbitro tenha feito vista grossa ao "perdoar" a sua expulsão por ter segurado a bola com a mão fora área.
Digamos que o 1º de Agosto só foi superior na primeira metade do jogo porque viria a marcar, aos 14 minutos iniciais, através de Bobó. Podia ter feito melhor nas situações de jogo, como na jogada em que, infelizmente, o árbitro assinalou um fora de jogo contestado.
Foi apenas no segundo tempo que a formação militar puxou,dos seus galões para, como se diz, dilatar os números no marcador. Os adepto da equipa reclamavam do baixo rendimento em campo do brasileiro Aquino, pedindo a entrada de Mabululo,  que é um dos marcadores, porém, a posta do banco foi para Buá ( e muito bem).
Este, aos 83 minutos, recebeu de Nelson da Luz  um passe de roptura  e, na diagonal, com boa visão, muita calma, com o pé direito entalou a bola no fundo das malhas, fazendo o 2-0.
Um outro eficiente trabalho de Ary Papel, recebeu a bola de Buá e, com o pé direito, fintou um adversário e, à meia lua, fez o, 3-1, quando estava-se já à meia lua , já aos 90+2 minutos.
Por  este seu belíssimo trabalho, Buá considerou a vitória importante " Sabíamos que seria difícil, mas fizemos tudo para marcar um golo na primeira parte e dois na segunda. Trabalhámos bem para ajudar a equipa. Faltam os jogos com o Cuando Cubango e o Kabuscorp do Palancas,  difíceis, mas vamos ganhar".

DECLARAÇÕES

ZECA AMARAL  ( Bravos do Maquis)

“O árbitro prejudicou-nos”Considero que foi uma vitória justa do 1º de Agosto, mas não foi um jogo e triunfo fácil. Sofremos um golo na primeira parte e dois na segunda. Faltou-nos concentração e, do ponto de vista  psicológicos acusamos o mau trabalho do árbitro que já fez   isto  em Calulo.  Não estou a tirar o mérito ao 1º de Agosto, mas temos de ter muito cuidado para salvaguardarmos a verdade desportiva. Este árbitro ainda há dias prejudicou-nos. Para as duas últimas jornadas temos de dar o nosso máximo, temos consciência de que podemos jogar mais para somar pontos, hoje não fomos muito práticos".

IVO TRAÇA (1º de Agosto))

“Vamos aproveitar a vantagem” Estamos a depender de nós mesmo. Felicito os nossos jogadores , portaram-se bem. Vamos aproveitar a vantagem para voltarmos a ganhar os próximos jogos . Vai ser ainda difícil o campeonato. Também queremos ganhar a Taça de Angola, por isso jogaremos com Cuando Cubango,.