Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

A luta promete

Aro Martins - 09 de Março, 2020

Fotografia: Jornal dos Desportos

O terceiro lugar obtido no Girabola Zap 2018/2019, com 53 pontos, atrás do Petro de Luanda, na época em o 1º de Agosto conquistou o troféu, é a maior conquista do Clube Desportivo da Huíla,  na primeira divisão e teve como obreiro o treinador Mário Soares, que regressou à agremiação, em 2016, em substituição do demissionário Ivo Raimundo Traça, para disputa da época futebolista de 2017, em que terminou na 8ª posição da tabela de classificação, com 41 pontos e em 2018 quedou-se no 6º lugar com 36 pontos.
O clima saudável entre Mário Soares e a direcção do único representante das terras altas da Chela,  no campeonato da Primeira Divisão e a sua capacidade de liderança à frente dos destinos do plantel principal de futebol da referida agremiação, indicam que o técnico deve renovar o contrato.
Com menos um jogo por disputar, no presente campeonato, diante do Petro de Luanda, o Desportivo da Huíla, sob orientação de Mário Soares, ocupa a 6ª posição na tabela geral de classificação, com 27 pontos.
Mário Soares estagiou no Vitória de Setúbal, da Primeira Liga lusa, é o único treinador no Desportivo da Huíla que disputou uma final da Taça de Angola, em 2013, perdeu diante do Petro de Luanda e no mesmo ano foi considerada equipa revelação.
O jovem treinador comandou a formação da região Militar Sul, na Taça da Confederação,  que foi eliminada na segunda eliminatória pelo Bisertin da Tunísia, depois de eliminar, na primeira, o Monana do Gabão.
O treinador Mário Soares, que pertence aos quadros do Clube Desportivo 1º de Agosto, colocou a equipa do Desportivo da Huíla na primeira divisão em 2012, agremiação em que trabalhou também em 2013 e 2014.
Mário Soares já foi adjunto dos técnicos Viktor Bondarenko (russo) e Victor Manuel (português) na equipa principal do 1º de Agosto.