Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

"A prestao do Desportivo foi positiva"

16 de Outubro, 2015

Clube Desportivo da Hula as ordens de Ivo Traa cumpriu com o objectivo traado pela direco para esta temporada

Fotografia: Jornal dos Desportos

O director administrativo do Clube Desportivo da Huíla, Ezequias Domingos, considerou ontem, no Lubango, de positiva a prestação da equipa principal, no campeonato nacional em que ocupou a sétima posição com 39 pontos.

Em entrevista à Angop, para balancear a participação dos militares da Região Sul, no Girabola2015, o dirigente afirmou que a equipa conseguiu corresponder às expectativas, em relação a época transacta, tendo ficado na 11ª posição com 32 pontos.

Como nota de realce, apontou o empenho dos técnicos, embora os jogadores tivessem demonstrado alguma imaturidade, pelo facto de serem jovens com uma média de 19 a 20 anos de idade.

Segundo o director administrativo, o plantel da equipa era composto 25 jogadores, e destes 40% são jovens, como o caso de Jojó, Elias, Bonifácio, Cassinda, Nandinho, Pedy, Belito, Cagodó, Baby, Joãozinho e Beto, com pouca experiência no Girabola.

“Estamos satisfeitos pelo empenho, pois, participaram 16 equipas e destas estiveram formações grandes como o Petro de Luanda e o Progresso do Sambizanga, que ficaram abaixo do Desportivo da Huíla, por isso, tenho a dizer que a missão foi cumprida”, sublinhou.

Relativamente aos aspectos administrativos, o responsável explicou que a direcção encontrou muitas dificuldades, em termos de campo para realizar os jogos na condição de visitado, o que foi atribuído para gestão do clube, “Nossa Senhora do Monte”, o relvado não se apresenta em condições para prática do futebol.

Outrossim, Ezequias Domingos referiu que a situação conjuntural vigente no país permitiu também algumas adaptações, do ponto de vista de viagens de membros do clube, tendo sido reajustado o grupo e datas, optando por deslocações no dia do jogo para evitar grandes despesas.

O Clube Desportivo da Huíla foi fundado em 1998 e tem o futebol como modalidade de referência. Nas suas participações no Girabola a equipa tem pautado por presenças aceitáveis para o orgulho dos citadinos da província.

"Tivemos uma prova
bastante equilibrada"

O campeonato nacional sénior masculino de futebol (Girabola2015, recém-terminado e que consagrou o Recreativo do Libolo, registou um equilíbrio significativo, considerou, o director administrativo do clube Desportivo da Huíla, Ezequias Domingos

Ressaltou o facto do campeão nacional ter sido conhecido apenas na última jornada e com os mesmos pontos (60-60) que o segundo classificado, ao contrário das provas anteriores em que a  diferença pontual era significativa entre o campeão e o vice.

Em relação às equipas que lutaram para não descer de divisão, explicou que a única formação que não conseguiu atingir os 30 pontos foi o Domant, enquanto o Sporting de Cabinda e o Bravos do Maquis terminaram com 31 cada.

De acordo com o dirigente, o campeonato nacional registou também um equilíbrio do sexto até ao 13º lugar, com uma mínima diferença na pontuação, e na zona intermédia, onde as equipas do Interclube e do Kabuscorp tiveram a diferença de três pontos.

Salientou que, este nível competitivo demonstra que já não existe equipas fracas na prova maior do futebol nacional, pois, as direcções dos clubes têm apostado fortemente no reforço dos planteis. 

“Hoje em dia já não existem equipas que vencem nas vésperas, os resultados são sempre imprevisíveis e aquelas que se intitulam como pequenas têm travado os grandes, e isto demonstra que o nível futebolístico patenteado foi positivo”, realçou.


ÉPOCA 2015
Espírito de grupo
garante manutenção 


Determinação e crença foi a "senha e contra senha" que os militares da Região Sul, utilizaram para lograrem a posição que ocuparam no Girabola 2015.  No computo geral e em termos percentuais, o Desportivo da Huíla dos 90 pontos possíveis conquistaram 39, o suficiente para atingirem a 7ª posição, fruto de 10 vitórias,  9 empates  e 11 derrotas.

Os pupilos de IvoTraça conseguem assim o feito perseguido pela direcção que almejava cimentar o seu posicionamento entre os grandes do futebol nacional. Numa época com altos e baixos, a equipa marcou 24 golos, sofreu 33, tendo um goal-average negativo de 9.

Na verdade, a odisseia do CDH manifestou-se mais acérrima a partir da jornada 25, já no declinar da prova. Até aí,  a campanha do grémio manifestava-se bastante titubeante com imensos riscos de descida de divisão pelo meio.

Depois de acordarem de um sono letárgico, nos últimos cinco jogos lograram somar 10 preciosos pontos,  dos 15 possíveis, fruto de três vitórias, um empate e uma derrota.

A entrada da jornada 25, a equipa estava numa posição periclitante abaixo da chamada linha d'água com apenas 29 pontos e passaram a encarar todo os jogos como autenticas finais. A determinação, abnegação e sobretudo crença do grupo de trabalho, fizeram com que, os cinco jogos derradeiros a equipa se transfigurasse.

Hoje, no balanço que se impõe chega-se a conclusão que, os últimos cinco jogos foram determinantes e os resultados acabaram por garantir a manutenção dos militares da Região Sul na fina flor do futebol nacional, acima inclusive de potenciais adversários como Petro de Luanda, Asa, Sagrada Esperança, Progresso do Sambizanga,  entre outras.         
 Morais Canâmua