Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Académica com jogos decisivos

J?LIO GAIANO, NO LOBITO - 02 de Março, 2017

Académica com boa postura nas três jornadas do Campeonato

Fotografia: Jornal dos Desportos

O espírito combativo incutido na Académica Petróleos Clube do Lobito pelo treinador António João Caleia Alegre começa a ganhar consistência. No desafio frente ao Recreativo da Caála foi visível a determinação e a intensidade como os atletas se entregaram em campo. Marcaram dois golos, suficientes, para anular o “atrevimento” dos caalenses que tentaram atrapalhar os intentos dos estudantes.

O que se assistiu domingo é uma clara amostra de que na Académica do Lobito há trabalho e que promete surpreender os aficcionados do futebol nacional. Melhor, dificilmente os estudantes vão desperdiçar pontos em casa, pelo que adversários do seu nível competitivo se cuidem que não vai ser fácil pontuar no Buraco.

A actual equipa técnica liderada pelo professor António Alegre incutiu aos atletas a necessidade de se vencer em casa e, no mínimo, não perder fora do seu reduto.

Este espírito de actuação teve a sua génese com a deslocação à cidade planáltica do Huambo, onde defrontou o JGM local com quem empatou a um golo. O caminho é estreito e tortuoso, reconhece-se, pelo que caberá aos pupilos de Tony Alegre esgrimir-se ao máximo para seguirem a marchar e vencer as barreiras que aparecerem à frente.

Antigos atletas e dirigentes desportivos garantem que não vai ser tarefa facilitada para a Académica do Lobito, a julgar pelas diatribes que se constroem nos bastidores do nosso futebol.

Contudo, são de opinião pelo que demonstrou nas três primeiras jornadas, não têm dúvidas que existe trabalho na equipa.  O professor João Gomes, antigo treinador do Electro Sport Clube do Lobito, assegurou que o actual plantel parece mais responsável e maduro.

“Pela forma como a equipa se apresenta em campo, leva logo a perceber que os jogadores estão assimilar rápido as lições que lhes são transmitidas ao longo do processo de treinamento. A equipa tem a rosto do seu técnico que incutiu neles a cultura de sacrifício e profissionalismo”, observou.

O antigo atleta da Académica do Lobito, David Cigarro “Vivi”, foi mais longe a considerar Alegre como o homem certo para a reestruturação do futebol no clube.

 “Nesta equipa os nomes não jogam. O técnico Alegre incutiu aos seus jogadores que o vedetismo conquista-se em campo. Nada de moleza e esta Académica ainda vai dar muito que falar neste Girabola Zap”, assegurou.

PERCURSO
Jogos decisivos


A Académica Petróleos do Lobito vai experimentar, nas próximas oito jornadas, jogos decisivos para a sua afirmação no Girabola Zap 2017. A empreitada começa neste fim-de-semana com o campeão 1º de Agosto, um adversário teoricamente superior, pelo que o resultado apesar de contar pouco, a equipa vai disputar os três pontos em campo, e provar o seu potencial diante de um candidato ao título.

Na jornada a seguir, a formação lobitanga desloca-se à vizinha cidade das acácias rubras para defrontar o 1º de Maio de Benguela, um dérbi que já mexe com a sociedade desportiva local.

Na sexta ronda, a equipa liderada pelo treinador António Alegre recebe no Estádio do Buraco o Desportivo da Huíla, enquanto na sétima e oitava jornadas, os estudantes testam o poderio competitivo com o FC Bravos dos Maquis (no Luena) e o  do Sagrada Esperança (no Buraco).

A epopeia da confirmação termina na deslocação à cidade cafeícola do Uíge, ao encontro da Santa Rita de Cássia FC, e aí avaliar a produtividade da equipa treinada pelo professor António Alegre.

Na temporada passada, até à oitava jornada, a Académica do Lobito totalizou cinco pontos, resultantes de uma vitória e dois empates, perdeu então cinco jogos. A campanha pela manutenção promete, e com ela muitas surpresas vão acontecer para gáudio da sociedade lobitanga, apoiante do desporto local.
JG

GIRABOLA ZAP
Equipa técnica do JGM antevê melhorias


O treinador - adjunto do JGM do Huambo, Chibi Faiel, assegurou no Lubango, que a equipa técnica trabalha com afinco para moldar o plantel da melhor forma desportiva, para alcançar resultados positivos nos próximos jogos.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, o técnico disse que a equipa é formada na sua maioria por jovens de 20 e 21 anos de idade, oriundos dos juniores, e pela primeira vez disputam o Campeonato Nacional da I Divisão. Admitiu, que as coisas não estão bem, mas pediu aos sócios, adeptos, e amigos do clube, para ter paciência, porque só o tempo pode dizer como vão correr as coisas.

“Temos de ter paciência, porque a nossa equipa é jovem. São miúdos que nunca tiveram no Girabola, e a maior parte veio dos escalões de formação. Então, temos de ter uma certa tolerância com os atletas, para que nos próximos jogos possamos fazer muito melhor. Por isso, vamos moldar a equipa à nossa maneira, e com o tempo, vamos ver como vão correr as coisas”, referiu.

Justificou, que os resultados averbados nas três jornadas disputadas (duas derrotas e um empate), deveu-se aos jogos consecutivos num espaço de pouco dias. Revelou, que foi cansativo para quem não está habituado a jogar na alta competição.

“Em 10 dias realizamos três jogos. Foi um pouco cansativo para quem não está habituado, em competição como o Girabola”, apontou. Acrescentou que a equipa está já a trabalhar com o pensamento no jogo com o Bravos do Maquis, referente à quarta jornada que vai disputar-se na cidade do Huambo.

“Será um desafio em nossa casa, por isso, temos tempo para preparar a equipa, para pontuar diante da equipa do Bravos do Maquis”, perspectivou.
Chibi Faiel garantiu que vão trabalhar, para a consolidação de alguns aspectos técnicos e tácticos de jogo, que ainda não estão definidos.  Afirmou que na semana finda, a equipa não teve tempo suficiente de efectuar uma preparação cuidada e rígida, porque “era jogar e recuperar”, assim, sucessivamente.

 “Temos a semana para preparar com mais calma o jogo com o nosso adversário, que vem ao Huambo. Vamos trabalhar na consolidação dos aspectos  ainda não consolidados. A semana finda não tivemos tempo de fazer isso, porque era jogar, sucessivamente, sem tempo de recuperação”, assegurou.

“Tivemos dois jogos fora de casa, em Luanda e no Lubango, com o 1º de Agosto e Clube Desportivo da Huíla, em que perdemos por 0-2, respectivamente. Em casa, frente a Académica do Lobito empatamos, contudo, vamos nesta jornada vencer o Bravos do Maquis”, acautelou.

O técnico - adjunto do JGM do Huambo, garantiu que as intenções de somar vitórias estão a prevalecer, principalmente, quando a equipa joga no seu reduto. “Todos os jogos, em casas, temos de pontuar”, ressaltou.

DIRECÇÃO
Chibi Faiel enaltece apoio


Chibi Faiel enalteceu o empenho da direcção do clube, pelo apoio que concede à equipa técnica, para que nada falte aos atletas e de um modo geral ao grupo de trabalho, ao longo da preparação.

“Até ao momento, não temos razões de queixas. O campeonato está na terceira jornada, e neste momento, a direcção deu-nos as condições necessárias que precisamos. Então, não temos razões de queixa”, exteriorizou.

O técnico - adjunto do JGM do Huambo confessou que os reforços que o conjunto possui, são os jogadores juniores que ascenderam ao escalão sénior, e outros provenientes de equipas do provincial do Huambo. Assegurou, que aos poucos se encaixam no sistema de jogo almejado.

Anunciou que reforços como tal, a equipa não tem, conta com um costa -marfinense que é atacante com boas qualidades, até ao momento, por questões administrativas ainda não está inscrito. “Vamos aguardar que na próxima semana consiga jogar,  é um belíssimo jogador”, confidenciou.

Argumentou que os atletas juniores estão a encaixar-se bem no plantel, e estão preparados para o que dêr e vier. “É o que temos, por isso, temos de coser com as linhas que se tem. Acredito que os atletas juniores vão dar conta do recado nas próximas jornadas”, destacou.
G. Hamelay - Lubango