Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Acadmica d passo para a permanncia

Jlio Gaiano/ no Lobito - 02 de Outubro, 2017

Acadmica do Lobito precisou de servio mnimo para conquistar trs pontos no duelo diante do Progresso Sambizanga

Fotografia: Paulo Mulaza | Edies Novembro

A Académica do Lobito fez jus à sua condição de anfitriã ao vencer, ontem, no estádio do Buraco, a equipa do Progresso Sambizanga, por um golo sem resposta, o que reanima a luta pela sua sobrevivência na mais alta-roda do futebol nacional. O desafio e triunfo testemunhado por milhares de adeptos, na sua maioria afectos à formação da casa, serviu, igualmente, para os estudantes apagar a borrada feita na passada quarta-feira, no desafio da segunda mão dos oitavos-de-final da Taça de Angola, em que perderam por 4-0.

O cabo-verdiano Kadú foi o autor do tento que deu o triunfo aos estudantes que cumpriram com a promessa feita à sua massa apoiante. Aliás de outra forma não podia acontecer, a julgar pelas condições ambientais criada para a contenda. Ou seja, o público esteve em peso no estádio do Buraco, e empurrou a equipa à vitória, tal como perspectivou o técnico Silvestre Pelé, para quem a Académica era favorita na referida contenda.

A formação sambila só pode queixar-se de si própria, por quanto facilitou em demasia a tarefa dos estudantes que souberam tirar proveito da situação para na segunda metade da contenda confirmar o triunfo. Kadú, que minutos antes rendera Bruno por fraco rendimento, foi o responsável da façanha, aos 75 minutos, aproveitando o deslize dos defesas contrários.

A boa postura da Académica do Lobito foi igualmente por culpa do médio ofensivo Lourenço. O jogador lobitanga mostrou classe e competência na construção de jogadas ofensivas da sua equipa, e como senão bastasse, foi “imperial” na desconstrução do ataque contrário, contribuindo assim na solidez defensiva da equipa de Silvestre Pelé. Aliás, foi ele que anulou por completo a criatividade dos sambilas.

A actuação da equipa de arbitragem chefiada por José Álvaro Chitumba pautou-se na mediana. Apesar de entrar algo trémulo, tomou conta da situação e impôs ordem e disciplina no jogo. Esteve bem na expulsão de Buchinho, no minuto 33, por isso, não comprometeu.