Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Adeptos querem afastamento do presidente

Armando Sapalo/ Dundo - 06 de Janeiro, 2020

Silva Txinhama defende a eleio de novos dirigentes e mais integrao de scios

Os adeptos do Sagrada Esperança da Lunda-Norte, pedem ao Conselho  da Administração da Endiama o afastamento do presidente de direcção Clube e seu elenco, cujo mandato cessou em Dezembro do ano 2019.
Contactado pelo Jornal dos Desportos a propósito da Assembleia de Balanço de e Renovação de Mandatos, convocada para o dia 17 deste mês no Dundo, o responsável da claque da formação diamantífera, Silva Txinhama disse que o elenco ficou muito longe das promessas feitas para os quatro anos de mandato, quando foi eleita para dirigir os destinos da formação lunda.
Silva Txinhama disse, que os adeptos estão agastados com a direcção cessante, pois durante os dois mandatos que esteve na liderança do Sagrada Esperança, a única coisa que conseguiu fazer foi retirar a agremiação diamantífera da elite do futebol nacional.
O nosso interlocutor considerou os lundas uma das instituições mais estáveis do futebol angolano e com condições favoráveis para lutar por títulos. "O Sagrada Esperança é uma instituição forte e mais estáveis do nosso futebol, que tem todas as condições para lutar por títulos", afirmou.
Inconformado pelos momentos menos bom dos lundas, lembrou que o clube só conseguiu vencer o Girabola em 2005, graças a um grupo de pessoas que estando à frente da direcção, identificaram-se sempre com os interesses do colectivo e souberam dar o destino certo do dinheiro que a Endiama colocava nas contas da equipa.
O líder da exigente claque da equipa afecta a Lunda Norte, disse que, desde 2010 que assumiu a direcção, o elenco do Osvaldo Van-duném ofuscou a dimensão histórica e patrimonial do clube diamantífero.
O Sagrada Esperança, referiu Silva Txinhama, é uma equipa grande, cuja dimensão histórica e patrimonial ultrapassa a simples fronteira da Província da Lunda-Norte. Sublinhou, que prestou sempre uma especial atenção ao seu clube e nunca deixou de cumprir com as suas obrigações.
Defendeu que a Assembleia de Balanço e renovação de mandatos, marcada para este mês, deve ser o ponto de partida para mudança a nível da macro-estrutura, que vai estar à frente dos destinos do clube nos próximos quatro anos.
"Queremos uma direcção nova e comprometida com a causa do clube. A dimensão histórica e patrimonial do Sagrada Esperança ultrapassa a fronteira da Lunda-Norte. Por isso, esperamos que essa Assembleia seja de facto, o ponto de partida para a mudança no nosso clube e nomear as pessoas certas, que vão estar a frente da direcção nos próximos quatro anos.

PRÓXIMOS MANDATOS
“Defendemos a fiscalização da gestão”


Silva Txinhama defende a entrada de sócios independentes e que não estejam necessariamente vinculados à Endiama. Ressaltou, que a entrada de novos sócios sem qualquer vínculo ao principal patrocinador, vai permitir controlar o trabalho da direcção em termos de gestão e prestação de contas.
"Sabemos que o Sagrada Esperança, a luz dos actuais Estatutos, os sócios são figuras vinculadas à Endiama. Esse é um dos problemas que queremos ver resolvido", destacou, justificando a necessidade de uma melhor gestão e fiscalização.
"Pedimos a Endiama, na qualidade de patrocinadora do clube, para abrir portas para a entrada de sócios independentes, que ao contribuírem com os seus parcos recursos através do pagamento regular das quotas, aliado aos investimentos da empresa, possam exigir a prestação de contas à direcção", destacou.
Silva Txinhama disse, que o consulado do Osvaldo Van-Duném na direcção do Sagrada Esperança, não teve uma prestação positiva durante os cerca dez anos que se passaram, por falta de prestação de contas.
Defendeu que o próximo presidente do Sagrada Esperança, deverá ser uma figura consensual, dinâmica e comprometida com os melhores resultados desportivos da agremiação e com residência fixa no Dundo.