Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Akra Asma ambiciona os lugares cimeiros

Augusto Fernandes, em Benguela - 22 de Janeiro, 2018

O plantel est a trabalhar muito bem e temos de dar graas a Deus

Fotografia: Edies Novembro

O técnico do Sagrada Esperança da Lunda Norte, Ekrem Asma, revelou ao Jornal dos Desportos que está feliz com a postura dos seus atletas nos primeiros 15 dias de estágio pré-competitivo que o conjunto diamantífero efectua na cidade de Benguela, com vista o Girabola Zap de 2018 que se avizinha.
“O plantel está a trabalhar muito bem e temos de dar graças a Deus. Apesar da desgraça que nos abalou no arranque do estágio, que foi a morte do nosso atleta, o resto do grupo está bem e até aqui não há lesões que consideremos de graves. Os jogadores estão a trabalhar muito bem, tanto em campo, no ginásio ou na praia. Por isso, estou muito feliz com os meus jogadores”, considerou.
Referiu que o espírito emocional dos jogadores é aceitável, o grupo está refeito do susto e sensibilizado com relação às suas obrigações.
“É verdade que começámos a época futebolística de 2018 de uma má forma, por perdermos o nosso jogador logo no primeiro dia de treinos”, recordou com nostalgia.
“É uma situação que acredito ser inédita, dentro das equipas que estão a preparar a próxima época. Creio que nenhuma outra equipa tenha vivido situação idêntica e nem quero que isso aconteça, porque não é abonatório para ninguém”, lamentou.  
Ekrem Asma avançou que para ultrapassar a desmotivação dos atletas, está a trabalhar fortemente no capítulo psicológico, de forma individual ou colectiva com os seus pupilos, para alcançarem os objectivos traçados.
“Para elevar a moral dos jogadores, trabalho muito na vertente psicológica dos atletas. Todos os dias chamo-os à razão, aconselho-os que o caminho é para frente. Faço algumas brincadeiras com eles, de formas a apagar o triste sentimento que carregam”, explicou o técnico.
Acrescentou que pede calma aos jogadores, sensibiliza-os de que a morte é um fenómeno natural e inevitável, razão porque todos devem estar preparados para esse tipo de situações.
“ Costumo dizer aos meus jogadores que a morte é um fenómeno natural, a que todos estamos sujeitos. Então, o importante não é carregar esse sentimento de forma infinita na mente.
O essencial é encarar a realidade com a convicção de que todos havemos de morrer qualquer dia”, comentou.
Por último, disse que “morrer não é grande problema, mas viver feliz é que importa para todos nós. Essa, é a lógica da vida, sobretudo a de um jogador profissional. Tem de olhar para frente e erguer a cabeça”, aconselhou o treinador dos lundas aos seus atletas.

OBJECTIVO
Técnico ambiciona o topo da tabela


Ekrem Asma disse  que está a preparar a equipa com a ambição de atingir lugares cimeiros no Girabola Zap de 2018.
O treinador confessou que essa é a sua filosofia de trabalho, ao longo dos três anos que trabalha nas equipas de alta competição.
“Eu quero sempre uma equipa que se coloque em cima. Não quero um Sagrada que fique a lutar pela permanência, porque o meu objectivo é tornar o Sagrada Esperança na mesma condição de um 1º de Agosto, Interclube, Petro Libolo ou qualquer outra equipa do topo do Girabola”, sublinhou.
O treinador turco -germânico afirmou que o objectivo é tornar os diamantíferos numa potência do futebol nacional. “Pretendo que este ano nós consigamos ficar nos lugares cimeiros, onde possamos travar uma luta renhida com os ditos virtuais candidatos ao título”, revelou o treinador do Sagrada Esperança.
 Asma lamentou a perda de três jogadores fundamentais, que compunham o esqueleto -base da equipa, nas últimas três épocas.
“Estou um pouco triste com as saídas do Bugos e do Traça, atletas que foram para o Petro de Luanda, assim como de Jeferson que foi para o FC Bravos do Maquis”, queixou-se.
Contudo, afirmou ser “uma situação normal no futebol, porque  também fomos buscar outros para suprirem as vagas. Por isso, o nosso objectivo mantém-se de pé, porque o plantel disponível dá-me garantias para ir à luta de cabeça erguida”,avanço.                                AP