Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Alta tenso na cauda da tabela

Betumeleano Ferro - 21 de Julho, 2018

Fotografia: Edies Novembro

A jornada do clássico nacional abre hoje com um único jogo, Sagrada - Kabuscorp, 15 horas no Dundo, mas vai ser amanhã que as coisas prometem aquecer por causa do Caála - 1º de Maio. Os dois últimos jogam pela permanência e quem ganhar aumenta as chances da manutenção, o oposto também pode ser verdadeiro, quem perder é capaz de dar um passo atrás para cair de divisão.
A vida está longe de ser a ideal para diamantíferos e palanquinos, porém, estão bem folgados na classificação. É verdade que estão aquém das expectativas iniciais estabelecidas pelas suas direcções, mas agora vão se contentar com a realidade. A fase actual é de lucros, pelo que o Sagrada vai tentar tirar proveito do melhor momento de forma, para somar mais três pontos.
O Domant FC respira confiança, realmente tem a faca e o queijo nas mãos para cortar a fatia necessária para permanecer no campeonato, se conseguir superar o Libolo, a partir das 15 no Dande. Um triunfo caseiro sobre os libolenses é o que se pede para manter a corda esticada.
Com ou sem vontade, a formação do Bengo tem de aceitar correr todos os riscos possíveis, já que é muito melhor se expor com o que tem, do que deixar a melhor qualidade do adversário tomar conta do jogo. Caso contrário, vai ser mais difícil chegar até ao pontito, que também já seria um bom resultado na fase actual.
A manutenção é o objectivo em comum para caalenses e proletários, ainda bem que amanhã têm o duelo capaz de ser decisivo, para as suas aspirações finais. De calculadora nas mãos, os dois contendores nem precisam ver os números na tela para perceberem que só têm de ganhar e ganhar. O confronto directo entre ambos veio no momento certo, é mesmo para separar as águas.
A espera dos lucros provenientes da Caála, o Cuando Cubango FC vai tentar tirar proveito da situação, na recepção ao Académica do Lobito. O jogo no Municipal é amanhã às 15h00, pelo que o anfitrião pode aproveitar para mandar recados aos mais aflitos.
Se a vitória for caseira, fica claro que o primodivisionário vai se colocar numa posição confortável na corrida pela manutenção, mas é possível que os estudantes vão tentar esquecer, durante os 90 minutos, a rivalidade entre Benguela e Lobito, para manter de pé o orgulho da província. A Académica pode ajudar se o Maio for digno e também fizer a sua parte na Caála.
O Progresso agora parece interessado em começar a justificar o nome. Nas duas últimas jornadas foi competitivo demais e fez 4 pontos na dupla campanha extramuros. Amanhã às 16h00, nos Coqueiros, os sambilas vão ser postos à prova pelos maquisardes, um adversário intermitente mas com qualidade suficiente para chegar, ver e vencer. O Bravos do Maquis, às vezes, se dão bem com os ares de Luanda, motivo por que o Progresso tem de ser cauteloso para não cair em casa.