Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Alta tenso no drbi benguelense

Jlio Gaiano - Benguela - 26 de Abril, 2018

Acadmica do Lobito e do 1 de Maio de Benguela para o fecho da 12 jornada do Girabola Zap2018

Fotografia: Dombele Bernardo

As atenções dos lobitangas e dos benguelenses vão estar centradas no desafio desta tarde às 15h30, no Estádio de Ombaka, entre as formações da Académica do Lobito e do 1º de Maio de Benguela para o fecho da 12ª jornada do Girabola Zap2018. O jogo  promete  ser de despique cerrado entre os contendores, em função da rivalidade entre ambos.

O ambiente reinante é de festa e de muita agitação. Nas oficinas, praças, bares e outros locais de concentração pública, das cidades do Lobito e Benguela, as conversas giram em torno da partida que se espera arrastar muita gente ao Estádio. Grande parte dos aficionados em declarações à nossa reportagem, vaticina um empate. As duas equipas têm o mesmo propósito na competição, que é a manutenção no Girabola Zap. A Académica do Lobito e o 1º de Maio de Benguela não perderam nas duas últimas jornadas, daí, a imprevisibilidade do desfecho da contenda. 

Observadores atentos, consideram tratar-se de um jogo de \"alto risco\", e o Ombaka é o local privilegiado para acolher o referido embate. Afinal, ao contrário do Estádio do Buraco, naquele local, o vandalismo não tem espaço. A segurança,  a integridade física e psicológica dos jogadores, dos árbitros (sobretudo) e demais envolvidos directa e indirectamente no jogo estão garantidos, segundo a Polícia Nacional.

Em função do que nos foi dado a constatar e a fazer jus à máxima, de que “em equipa que ganha não se mexe”, tudo aponta que no confronto desta tarde, quer a Académica do Lobito, como o 1º de Maio de Benguela, vão apostar nos mesmos “onze” iniciais utilizados nas duas últimas partidas, em que confirmaram o estado ascendente de forma competitiva. 

Assim, do lado dos estudantes espera-se a utilização inicial de Ndulu - Lolô, Zebedeu, Milambo e História - Lourenço, Bebo, Chilô e Vander - Lelas e Jiresse. Os proletários, por sua vez, podem começar com, Moreira - Poko, Ndjó, Cristiano e Hélio - Pady, Brasuca, Jamantha, Mona e Márcio Luvambo - Quinho.