Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Ary Papel de regresso s opes

Jorge Neto - 23 de Julho, 2016

O regresso do mdio ofensivo, Ary Papel, s opes do tcnico Dragan Jovic

Fotografia: Jos Cola

O regresso do médio ofensivo, Ary Papel, às opções do técnico Dragan Jovic, após recuperar da lesão que o afastou dos relvados nos últimos três desafios, torna o ataque do 1º de Agosto mais forte, para o jogo desta tarde em Menongue.

O técnico -adjunto dos militares, Filipe Nzanza, confirmou em conferência de imprensa, a inclusão do melhor marcador da equipa, nos últimos dois anos, para o jogo frente ao 4 de Abril e avançou, igualmente, a ausência do médio ofensivo Buá, por lesão, contraída na jornada passada, no empate diante do Progresso do Sambizanga.

"Vai haver mexidas na equipa. O Buá está lesionado e o Ary Papel treinou a 100 por cento. Com excepção deste atleta, estamos bem e todos os outros jogadores estão disponíveis", assegurou o treinador - adjunto.

O anúncio de desistência da formação do 4 de Abril, não faz mossa na equipa do 1º de Agosto, que prefere  a concentração na realização do jogo de hoje, às 15h00, no Estádio Municipal de Menongue, voltar às vitórias no Girabola Zap.

  "Nós como equipa técnica, temos de trabalhar apenas, a desistência do 4 de Abril, para nós é conversa. Essas equipas querem jogar contra o 1º de Agosto, como se vitamina se tratasse. Quando entram em campo para jogarem contra nós, aproveitam para pressionar e receber os pagamentos dos salários e prémios de jogos em atraso", revelou na última quinta-feira, em conferência de imprensa, no ex-RI20.

"Em princípio é mais um jogo difícil de campeonato. Viemos de um empate que não estava nas nossas previsões, mas já ultrapassamos isso, agora, vamos jogar contra uma equipa que está a lutar para não descer de divisão, mas queremos ganhar. Trabalhamos bem durante a semana e sabemos que é difícil, porém não impossível de conquistarmos os três pontos", analisou.

Filipe Nzanza minimizou a pressão para regressar às vitórias e recordou que ela faz parte do grupo, desde o início do campeonato. "Conversamos com os jogadores e temos feito um bom trabalho psicológico. Daí, que esta pressão já existe, desde o início do campeonato. Estamos há dez anos sem conquistar o título,  vamos fazer tudo para manter a diferença pontual. Os adversários vêm com muita força, mas o mais importante é continuar a frente", explicou.

O técnico Dragan Jovic pode alinhar com  o seguinte onze inicial: Dominique; Isaac, Dany Massunguna, Diakité, Paizo; Jumisse, Ibukun, Gogoró; Ary Papel, Geraldo e Gelson. 


DESLOCAÇÃO A MENONGUE
Militares
reafirmam prontidão


O 1º de Agosto fez ouvidos de mercador, ao propalado anúncio de desistência, da equipa  4 de Abril. Os militares já estão em Menongue, casa do adversário, para o que der e vier. Se o jogo não se realizar, como parece evidente, os militares vão ao Estádio para cumprir as formalidades que se impõem, e conquistarem os três pontos, sem suor.

As probabilidades de realização desta partida, é ainda, uma incógnita. Até a própria FAF parece indecisa. Nos comunicados em nossa posse, enviados no mesmo dia, o jogo aparece marcado com datas diferentes, 27 e 24.

A verdade, é que o 1º de Agosto foi a Menongue para jogar, vai esperar até o último momento, para saber se o oponente mudou de ideias.

Aconteça o que acontecer, a prontidão dos militares resulta sempre em algo de bom, com ou sem o adversário em campo. Os regulamentos são para serem cumpridos na íntegra, e o 1º de Agosto, tal como a equipa de arbitragem, vão o Municipal porque o jogo está marcado para às 15h00.

Se a formação orientada por João Machado mudar de ideais e decidir jogar, cenário quase semelhante, ao que aconteceu na recepção ao Petro de Luanda, nada faz crer que os rubro -negros tenham a vida facilitada. A equipa das terras do Progresso, já provou que é capaz de carburar, até sem treinar. A grandeza do adversário, chega e basta, para motivar o 4 de Abril.

A verdade desportiva fica salvaguardada, se a realização do jogo Nº. 137 do Girabola ZAP, se efectivar. Uma eventual vitória por falta de comparência, era prejudicial para o 1º de Agosto, porque os pontos conquistados  podem ser retirados, caso se confirme a desistência do seu oponente.