Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

ASA defronta CR Cala no Huambo

Betumeleano Ferro - 21 de Outubro, 2017

Calenses e aviadores jogam pela honra e manuteno no campeonato nacional

Fotografia: Mota Ambrsio



A antepenúltima jornada do Girabola tem em agenda no sábado, o Clube Recreativo da Caála - ASA às 15h00 no Estádio Mártires da Kanhala, partida em que os aviadores estão \'condenados\' a vencer para não dependerem de terceiros.
O único jogo desta tarde, está a ser marcado por acontecimentos desagradáveis nos bastidores, e o mais notável é a dívida do CRC para com as equipas de arbitragem,  que pode resultar em falta de comparência dos donos de casa.
A bem da verdade desportiva,  os objectivos traçados pelos dois contendores, o embate entre caálenses e aviadores tem tudo para  uma boa partida. Aliás, há motivos para acreditar que as duas equipas estão preparadas para suar as camisolas.
Uma eventual derrota na secretaria, a punir o CRC, podia traduzir-se numa prenda natalina antecipada para o ASA, mas é insensato pensar que a formação do Aeroporto perdeu o foco no jogo, por causa da chance, real, de somar os três pontos de borla.
O jogo é de vida ou de morte para os aviadores. Faltam três jornadas para o fim, e os aviadores estão sedentos de pontos para a equipa confirmar a permanência, por isso, tudo vai fazer para sair do Huambo vitoriosa.
A semana laboral ficou mais uma vez ensombrada, com a velha questão da dívida, da direcção para com a equipa, mas durante os 90 minutos o brio profissional vai impedir Paulo Saraiva e pupilos de pensarem mais no dinheiro, do que na defesa das cores do clube que representam.
A recuperação efectuada pelos aviadores, merece a recompensa da permanência, mas as turbulências por que passa a equipa desde a jornada inaugural, deixa marcas no plantel, ainda assim, a ambição de ficar na primeira divisão fala muito mais alto, pelo que o ASA vai dar o que não tem, para não morrer na praia.
O CRC só está mais folgado na tabela classificativa, contudo, o atraso no pagamento da dívida aos árbitros, é capaz de deixar marcas profundas na equipa. O desempenho competitivo pode ser afectado, mas é evidente que os atletas vão passar ao largo da questão, não obstante, ser verdade que podem apanhar por tabela.
O pagamento da dívida está aquém da competência da equipa técnica e dos atletas, o que se espera deles é que cumpram com as suas obrigações em campo. É isso, que vão fazer esta tarde, diante do ASA.
A exibição até pode ser beliscada, pelo que está a acontecer nos bastidores, mas a equipa tudo vai fazer para somar os três pontos, a fim de também comover quem deve a pagar e honrar os seus compromissos.
Uma segunda falta de comparência no Girabola ZAP, parece fora de questão, porque é capaz de custar mais do que uma simples derrota. Os regulamentos da FAF são claros demais, para a direcção do clube nada fazer, para a bola rolar adiante esta tarde. Ninguém acredita, que a corda vai esticar até rebentar, por causa das graves consequências que pode acarretar.