Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

ASA e Cala repartem pontos

Augusto Panzo - 20 de Abril, 2015

A iniciativa do jogo coube ao Recreativo da Cala que, logo no arranque levou uma jogada de perigo baliza defendida por Traor

Fotografia: Kindala Manuel

O ASA perdeu a oportunidade de se encostar muito mais ao pelotão do meio da tabela, ao consentir um empate a um golo diante da formação do Recreativo da Caála, no Estádio dos Coqueiros, na única partida disputada ontem, referente ao complemento da nona jornada do Girabola de 2015.

Os golos da partida foram apontados por Nelito, aos 48´, do lado do ASA, ao passo que, os caalenses chegaram à igualdade no minuto 82, por intermédio de Fufuco, na marcação de uma grande penalidade.

A iniciativa do jogo coube ao Recreativo da Caála que, logo no arranque levou uma jogada de perigo à baliza defendida por Traoré, o guardião aviador, numa incursão de Femi, que obrigou aquele a desviar para canto.

Aos poucos o conjunto aviador foi se recompondo, e começou a esboçar aquilo que seria de facto a linha do jogo, mas o adversário que veio com a ideia de arrancar a primeira vitória no campeonato, a partir desta partida, não arredou o pé do acelerador.

Em função disso, as duas equipas tiveram um desafio muito disputado a partir do meio campo, com os visitantes a procurarem furar essa linha aviadora, e os anfitriões a lutarem para que tal não acontecesse, levando desta forma os dois contendores empatados a zero golo no intervalo.

De regresso dos balneários o treinador Robertinho, da formação aviadora, efectuou a primeira mexida no seu xadrez, tirando Silva e colocando no seu lugar o médio Dany, numa substituição que valeu à pena, pois tornou o conjunto do aeroporto mais espevitado.

Foi exactamente fruto dessa mexida de que resultou o primeiro golo da partida, apontado por Nelito aos 48´, a finalizar da melhor forma um cruzamento efectuado pelo recém-entrado Dany, tento que pôs o ASA na condição de vantagem. Notando o prejuízo para o seu conjunto, o treinador Hélder Teixeira, do Recreativo da Caála, respondeu com outras substituições, no sentido de exercer uma forte pressão sobre o oponente e tentar atingir o golo do empate.

Em função dessa tensão, o treinador do ASA colocou em campo o central Kialunda, na intenção de defender o resultado, mas foi mal sucedido, pois, três minutos depois de render o seu companheiro, o jogador que entrou foi infeliz num dos lances.

Na tentativa de cortar um cruzamento adversário na grande área provocou uma grande penalidade, isso na óptica do árbitro Domingos Dungula, pois este considerou que a bola bateu na mão de Kialunda.

Fufuco foi feliz na cobrança e conseguiu que o Caála chegasse ao empate, resultado que já não se alterou até ao fim e permitiu ao ASA consentir o segundo empate caseiro, impedindo com isso a subida em mais um degrau na tabela.


MELHOR EM CAMPO
Nelito imparável

Nelito Ponta de lança do ASA foi incansável em campo. Interveio nas jogadas mais perigosas da sua equipa, o que preocupou bastante os adversários da outra equipa. Jogou e fez jogar os seus colegas e se tivesse marcado um conta da sua conta seria melhor coroado ainda. Dono de uma ampla visão e leitura de jogo, este jogador vai certamente continuar a dar trabalho na linha de ataque da sua equipa.


ÁRBITRO
Juiz imparcial

O árbitro do jogo ontem esteve sem meias medidas. O cartão vermelho que exibiu e os amarelos também demonstram que fez valer a sua autoridade na partida onde, nalguns momentos, foi notório a actuação de viril de jogadores de ambas as parte. É claro que algumas vezes os treinadores e jogadores reclamaram de algumas acções, mas, bem avaliado no geral, o ajuizamento não teve influência no resultado final


OPINIÃO DOS TÉCNICOS



Hélder Teixeira (Técnico do Caála)
“O árbitro inclinou o campo”


“Naturalmente obtivemos mais um empate. Não conseguimos entrar na senda das vitórias e acredito que pelo  jogo feito por nós resultado ajusta-se embora pude ver, na minha opinião,  o árbitro a inclinar o campo, preciso ver as imagens, mas já sei que ele retirou pendor ofensivo da minha equipa”


Paulo Alves (Adjunto do ASA)
“Temos de levantar a cabeça” 


“Tínhamos o jogo controlado. Sentimos inicialmente a pressão do adversários que nos obrigou a fazer reajustes na nossa defesa, mas não deu certo e sofremos o golo como marcamos um. Temos que nos concentrar, levantar a  cabeça e ver as possibilidades de no próximo jogo ganharmos ao Libolo”