Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

ASA empata com Progresso da Lunda Sul

Avelino Umba - 11 de Setembro, 2017

Os golos foram apontados por Yawo aos 38 (ASA) e Barezó aos 88

Fotografia: DOMBELE BERNARDO/ Edições Novembro

Numa partida  sem graça e nem muito para contar, com o internacional Love Cabungula no banco, que entrou ao meio da segunda parte, mas sem grandes possibilidades, a crónica do jogo entre aviadores e lundas pode ser resumida por alguma falta de qualidade de jogo apresentado pela duas equipas durante os 90 minutos, com maior realce na "mancha" de cartão vermelho no final da primeira parte, exibido a Lopes da equipa visitante.

O empate ( 1-1) peca pela falta de atitude da equipa da casa, que consentiu a repartição de pontos. Os golos foram apontados por Yawo aos 38 (ASA) e Barezó aos 88 (Progresso da Lunda Sul). Os aviadores na condição de visitados até começaram bem, mas o excedente na percentagem de posse de bola não foi traduzido em golos, apesar  de Paulo Saraiva ver a sua equipa a tentar crescer em campo e a encostar na área adversaria, embora com alguma descoberta ao fundo das redes de um guarda-redes Lunda que esteve seguro.

A equipa da casa mais atrevida construía jogadas que eram aplaudidas pelo pouco público presente, com destaque para lances bem abordados que, em abono da verdade, podiam ser fatais para a equipa do Progresso da Lunda Sul. Quando se pensava terminar a premeria  parte com resultado nulo, aos 38 minutos , numa jogada de insistência, Yawo recebeu passe cruzado rasteiro do lado esquerdo, aproveitou um erro defensivo e rematou sem qualquer defesa de Wilson, fazendo o  1-0, resultado durou até ao intervalo.

SEGUNDA PARTE
No reatamento com menos uma unidade em campo para os "lundas", levou o seu técnico, inconformado com o resultado, a  substituir Anderson por Garcia aos 50',  para dar outra dinâmica à equipa. Os aviadores, ainda assim, faziam jogadas perigosas no último reduto, sobretudo na grande área da baliza defendida por Wilson que teve muito trabalho  na sua baliza, para não ser muitas vezes violada.

Realce para os 60 minutos em que Bena  rematou  muito forte para defesa apertada de Wilson. Os aviadores, a jogar em vantagem numérica, com uma unidade a mais do que adversário fruto do cartão  vermelho  exibido a Lopes, tinham tudo para ampliar o resultado. Jogavam muito tempo no campo do adversário, mas os seus avançados ficavam apenas pela intenção. Aos 80',  numa jogada rápida, Yawo passou a bola para Bena que estava em condições privilegiada. Este, porém, rematou muito forte para cima da baliza.

Os visitantes não cruzaram os braços e, aos 88', quando já se acreditava por um desfecho favorável para os aviadores,  Barezó, na sequência de um pontapé de canto, de cabeça repôs a igualdade, para a tristeza da equipa de Paulo Saraiva.De resto, com uma arbitragem isenta, o resultado ajusta-se ao nível daquilo que as duas equipas produziram em campo.