Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Asma fala em sucesso colectivo

Paulo Caculo - 16 de Outubro, 2015

Treinador da Acadmica do Lobito est satisfeito com a manifestao de fora e crena demonstrada pelo plantel ao longo da poca

Fotografia: Nuno Flash

O treinador da Académica do Lobito, Ekrem Asma, destacou em entrevista, ao Jornal dos Desportos, a força colectiva e capacidade competitiva dos seus jogadores como factor determinante na materialização do objectivo traçado.

O técnico alemão confessou que sem o espírito de sofrimento evidenciada pelo colectivo, jamais a equipa seria capaz de concretizar com êxito o desafio de se manter no principal campeonato de futebol nacional.

"Acho que fomos bravos e determinantes. Mesmo ao nível de outros clubes, é importante que se preocupem com a questão mental. Incutimos aos nossos atletas a mentalidade de jogarmos com coração", esclareceu o treinador dos 'estudantes' do Lobito.

"Afirmei em Janeiro que esta equipa iria continuar no Girabola, porque sempre acreditei. Depois, porque também tenho grandes jogadores, um grupo muito bom e não tinha como não depositar confiança neste plantel. Trabalhámos a equipa do ponto de vista psicológico, físico e táctico e, principalmente, a questão fisiológica, devido as longas viagens de carro", acrescentou Ekrem Asma.

O técnico da Académica sublinhou, por outro lado, a importância capital que tiveram alguns jogadores mais experientes, casos de Higino, Wilson e Jaseck, que considera terem sido fundamentais na concretização do objectivo de todos os lobitangas.

"Sem qualquer desprimor para os outros", sobretudo numa fase em que parecia não haver mais soluções ou poucas hipóteses da equipa lograr a permanência "estes atletas foram preponderantes", destacou.

"Um dos aspectos fundamentais, é que os treinadores têm de gostar dos seus jogadores. Tive a oportunidade de observar e avaliar em todos os jogos do Girabola a capacidade do meu plantel, o que permitiu descobrir jogadores que pudessem ser fundamental para os nossos objectivos e catapultar a equipa para o patamar que atingimos", referiu.

Ekrem Asma teceu igualmente elogios ao guarda-redes Wilson,  considerando como uma das grandes referências do plantel lobitanga. O técnico acredita que se tivesse mais cinco ou seis jogadores do nível do antigo guarda-redes do 1º de Agosto, a campanha seria outra.

"Não tenho dúvidas em afirmar que se tivéssemos vários jogadores desta qualidade de certeza iríamos alcançar o quinto lugar, porque é muito forte a nível profissional", concluiu.


FORMAÇÃO
"Devemos tirar
proveito dos atletas"


Ekrem Asma encara com optimismo a possibilidade da Académica do Lobito passar a tirar maior proveito dos jogadores formados na escola do clube.
O treinador acredita que um dos grandes modelos que pode ajudar a equipa superar eventuais dificuldades financeiras é a venda de atletas para clubes mais poderosos financeiramente.

"Um clube como a Académica tem de trabalhar nesta linha, ou seja, formar jogadores para depois vender aos clubes com melhores condições financeiras. Mas, deve também tirar maior proveito da parceria de formação com os outros clubes", aconselhou.

"Penso que deve ser neste processo que temos de trabalhar, porque os clubes devem rentabilizar estes jogadores e receber em troca o que lhes merece", revelou.

O alemão, que acaba de protagonizar a sua primeira experiência no Girabola, depois de três anos ao serviço dos escalões de formação do clube, fez questão de lamentar a falta de confiança, que por vezes, espelham alguns dirigentes desportivos em Angola, quando se fala em projectos de formação.

"Tem que haver uma comunicação e confiança entre a direcção, treinador, equipa técnica e todos os sectores que intervêm na questão do futebol de uma equipa, porque vejo que em Angola a confiança não é um aspecto que se vê muito", lamentou.

Afirmou com alguma nostalgia que"se há três a puxar, existem dois a travar. Acredito que se todos tivessem uma mentalidade positiva e as coisas encarada de forma, o futebol aqui seria diferente", asseverou o responsável técnico da Académica do Lobito.  
 PC



CONSTATAÇÃO
Técnico clama por mais apoios


O treinador da Académica do Lobito admitiu que a maior carga de trabalho em qualquer agremiação está com os técnicos que trabalham diariamente  com as equipas que lutam por objectivos modestos e com poucos recursos.

Ekrem Asma reforça a sua posição e lamenta o facto de notar que os técnicos comprometidos com as equipas de menor expressão e possibilidades numa determina prova, não conseguirem ter os melhores jogadores e muito menos exigirem muito mais condições, em virtude dos orçamentos limitados dos clubes.

"As equipas mais pequenas têm mais dificuldades que as grandes, que ostentam os melhores jogadores, orçamentos, mas o trabalho qualitativo dos treinadores das equipas pequenas são muito mais visíveis, porque nota-se o desenvolvimento dos respectivos planteis", referiu.

"O trabalho mais facilitado está com as equipas grandes, que lutam pelo título, porque conseguem contratar os melhores jogadores", afirmou o treinador dos lobitangas, que não escondeu as dificuldades enfrentadas nas longas viagens aturadas para os jogos do Girabola.

"O Girabola é um bom campeonato, com qualidade, mas é uma pena que muito cedo já se consegue notar as equipas que vão lutar pelo título e as que disputam a manutenção. Acho que em termos de capacidade desportiva, o campeonato precisa desenvolver-se muito mais ainda", finalizou.      
PC