Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Ataque sem reforos

Paulo Caculo - 08 de Julho, 2016

Tcnico Beto Bianchi esclarece razes que impossibilitaram a equipa de contratar um avanado para a segunda volta

Fotografia: Jornal dos Desportos

O técnico do Petro de Luanda, revelou ontem, ao Jornal dos Desportos, que o ataque da sua equipa está privado de qualquer reforço na segunda volta do campeonato nacional.

Beto Bianchi, justificou a escassez de avançados no mercado interno e externo, que satisfaçam o perfil desejado pelo clube como uma das razões, que frustraram os objectivos de contar com mais um atleta neste sector.

O hispano-brasileiro fez questão de esclarecer que, dos dois sectores referenciados como prioridade para o reforço   do plantel na reabertura do mercado de transferências, apenas no meio-campo foi possível encontrar um jogador ideal.

"A grande prioridade era contratar um médio e um avançado, mas o mercado não deu possibilidade de conseguirmos um avançado. Vamos contar com os que temos no plantel, porque não há possibilidade de trazer mais avançados e nem estamos mais focados nisso, porque não existe no mercado", explicou.

O treinador  principal do Petro lamenta, no entanto, não poder ver satisfeito o desejo de receber mais um avançado, mas deixa também claro não estar muito preocupado com isso, porque deposita total confiança nos únicos atacantes, nomeadamente Jiresse e Fabrício (ver texto à parte) que integram o plantel tricolor.

Bianchi afirmou na conferência de imprensa de balanço da primeira volta do Girabola Zap, que o presidente do Petro de Luanda, Tomás Faria, havia já manifestado a necessidade do plantel ser reforçado com mais um ou dois jogadores, tendo apontado o ataque como a grande prioridade, face às inúmeras oportunidades desperdiçadas nas primeiras 15 jornadas.

"Em princípio seria contratarmos dois atletas, não obstante  a nossa maior necessidade ser a posição de ponta-de-lança. Uma forma mais fácil de contratar um avançado era no mercado local, porque recebem kwanzas", sublinhou o dirigente, que de seguida deixou a seguinte alerta;

"Gostaríamos de ter atletas que venham para jogar e no mês seguinte recebem os seus salário para não criarem instabilidade na equipa. Desta forma preferíamos aguentar conforme estamos. Mas vamos contratar", disse, na altura, Tomás Faria.

O presidente do Petro deixou ainda claro, na mesma ocasião, que a ideia da equipa de futebol é ter entre um ou dois atletas só para esta segunda volta. Em relação as posições, reforçou que o ataque apresentava a maior necessidade, ao passo que no meio-campo esperava-se por um reforço que conseguisse fazer as posições seis ou dez.

"São as posições que nesta altura precisamos. O mais difícil é conseguir um avançado, porque os que existem no mercado interno têm contrato e no mercado externo precisamos de encontrar alguém que aceite receber o salário em kwanzas", justificou o responsável máximo do clube tricolor.


CONFIANÇA
“Jiresse e Fabrício têm potencialidade”


O técnico Beto Bianchi acredita que os níveis de rendimento dos avançados Jiresse Mawyia e Fabrício Simões, na segunda volta do campeonato, serão mais elucidativos do real potencial dos dois jogadores.

Afirmou que deposita total confiança nos únicos atacantes de raiz do plantel e deixou claro que está confiante na melhoria da prestação e rendimentos ao longo da segunda volta.

O brasileiro justifica o seu optimismo em função da entrega e dedicação espelhada pelos camisolas 9 e 19 da equipa, durante o micro-estágio que realiza na cidade do Lubango.

"Acredito que tanto o Jiresse como o Fabrício vão reforçar mais a equipa na segunda volta. Tenho fé no potencial destes meus jogadores e acho que na segunda volta vão demonstrar melhor postura", admitiu.

Destacou que os dois atacantes foram sempre muito dedicados em campo "Nunca faltou trabalho da parte deles. Penso que sempre estiveram muito bem, apenas faltaram os golos, mas acho que na segunda volta será diferente", anteviu bastante confiante.

O treinador do Petro garantiu, por outro lado, estar satisfeito com a atitude dos jogadores, sobretudo pela entrega do plantel, que demonstram enorme dedicação aos trabalhos, num ritmo muito forte.

Acrescentou que os dois jogos amistosos diante do Desportivo da Huíla permitiu tirar ilações sobre "coisas positivas", assegurando, a finalizar,  que nesta fase derradeira da preparação vai baixar um pouco a intensidade dos treinos.

"Pretendemos salvaguardar e melhorar a condição física dos jogadores para o jogo do próximo dia 12, frente ao 4 de Abril, referente à 16ª jornada do Girabola Zap", explicou.