Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Aviadores tentam mostrar atitude

Gaud?ncio Hamelay, no Lubango - 12 de Fevereiro, 2017

Equipa técnica do ASA

Fotografia: Vigas da Purificação

Os aviadores querem começar uma nova era, a meta está traçada mas tem de ser suportada com bons resultados, sobretudo diante de adversários como o Desportivo da Huíla cujo objectivo é o de terminar na melhor classificação possível.

A equipa de João Machado está em fase de construção, mas o decano dos treinadores do Girabola, desde 1982 que está no activo, apenas a partir deste jogo inicial vai ter a chance real de ver quanto trabalho ainda precisa fazer para se dar por satisfeito, não obstante satisfação ser uma palavra que os técnicos às vezes fingem não gostar.

O ASA ambiciona ir ao encontro da sua história no futebol nacional, um triunfo em casa alheia vai dar motivação a João Machado e pupilos para encarar com menos pressão as próximas jornadas.

O plantel é uma mistura de jovens e veteranos, agora que venham os bons resultados para que os receosos adeptos aviadores saiam do esconderijo e regressem de novo aos estádios, como era costume noutros tempos.

O Desportivo da Huíla também é um projecto em construção, o regresso de Mário Soares parece não ter coincidido com o início de uma nova era.
A pré-época foi a possível, agora que venha esta tarde o ASA para que o treinador dos militares consiga perceber, se ainda vai ser necessário esperar mais muitas ou poucas jornadas para a equipa começar a deslizar.

A equipa militar até tem um plantel recheado, vários dos seus jogadores são competitivos e têm história no campeonato, mas o grande problema começa nos bastidores e o plantel apanha sempre por tabela.

Os jogadores do Desportivo também têm auto-estima, sendo este o motivo principal por que vão fazer pela vida para eliminar o primeiro grande obstáculo no possível campeonato da manutenção.

O Desportivo da Huíla e o ASA são equipas modestas, como os seus objectivos no Girabola ZAP. Os dois contendores perseguem a mesma meta, vai ser interessante ver esta tarde quem vai conseguir ganhar, logo de primeira, um avanço pontual sobre o opositor directo.  BF


DESPORTIVO
Técnico augura regresso vitorioso


O técnico do Clube Desportivo da Huíla, ambiciona começar com vitória o Girabola Zap 2017, quando disputar esta tarde à partir das 15h30, no estádio do Ferroviário local, o Atlético Sport Avião (ASA), em partida referente a primeira jornada da prova.

Mário Soares regressa ao comando do conjunto militar da Região Sul, dois anos depois em substituição do treinador Ivo Traça reconheceu em conferência de imprensa que o plantel sofreu uma sangria com a saída de oito jogadores influentes. Contudo, espera fazer grandes mudanças para ter um plantel equilibrado e encarar com maior responsabilidade os desafios do Girabola Zap 2017.

Admitiu que o adversário de hoje é uma boa equipa que está  muito bem trabalhada e com tradição na competição. “O ASA nos últimos dois anos tem enfrentado algumas dificuldades, mas não podemos meter referências da equipa como uma formação tremida. Eu faço sempre referência de como estamos para começarmos o campeonato”, sustentou.

Afirmou que os aviadores têm começado todos os campeonatos da melhor forma, claudicando na segunda volta. Para o embate desta tarde espera dos seus atletas bastante coesão e muita concentração.

“Espero uma equipa que nas transições defensivas não se desmembra daquilo que são as nossas linhas de jogo, um Desportivo com vontade de querer ganhar e bastante concentração na missão defensiva. Afinal de contas o resultado que nos interessa é ganhar, mas não estou a dizer que vamos vencer o jogo, embora seja esta a nossa intenção”, assegurou.

“É sabido que estamos com algum défice de jogo colectivo com consequência no aspecto competitivo, já que não conseguimos trabalhar conforme o pretendido ou planificado. Mesmo com este défice, temos vontade de ganhar o jogo e vamos trabalhar para isso”, garantiu Mário Soares.

Avançou que não teve a possibilidade de fazer qualquer observação ao Atlético Sport Aviação (ASA), embora pudesse nos seus jogos de controlo ter esta oportunidade, mas carecia de uma série de organização. “E isso não foi possível fazer”, frisou.

 “Vamos esperar pelos primeiros minutos para estudarmos o adversário e procurarmos estar concentrados em todo o momento do jogo, porque é nos primeiros jogos onde as grandes surpresas acontecem e nós não queremos ser surpreendidos, antes pelo contrário, pretendemos surpreender o adversário”, destacou, sem no entanto, deixar de reconhecer que a finalização da sua equipa ainda exige muitos cuidados.

“Esse elemento acaba por ser os mais complicado a nível do futebol nacional e nós treinadores vamos trabalhando no intuito de diminuir essa deficiência e se possível melhorar a deficiência para ser um acto normal ou uma habituação de fazer muitos golos”, confirmou.