Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Azulão afunda Paulo Figueiredo

05 de Março, 2017

Tricolores confirmam superioridade ante um adversário a atravessar uma fase menos boa

Fotografia: Vigas da Purificação

Os resultados dos cinco jogos do Girabola Zap 2017, disputados ontem, confirmaram a superioridade dos candidatos ao título, enquanto o duelo entre formações que lutam pela melhoria da classificação e aqueles que definiram como meta a manutenção não houve qualquer surpresa.

O Petro de Luanda com a lição bem estudada evitou que a história da época passada, em Saurimo, se repetisse. Com golo de Tiago Azulão, venceu o Progresso da Lunda Sul e agravou ainda mais a situação da formação orientada por Paulo Figueiredo que começa a ver o seu lugar tremido no comando da equipa.

Com uma exibição ao nível dos objectivos traçados os petrolíferos entraram no Estádio das Mangueiras precavidos e não permitiram que os anfitriões criassem qualquer dissabor. Com personalidade e pinta de um verdadeiro concorrente a erguer o troféu, em Novembro, altura que termina o campeonato regressa com os três pontos.

Os lundas, embora inconformados tiveram apenas que renderem-se ante a superioridade do adversário, simplesmente o papão da prova dotado de atletas de melhor qualidade, com várias opções e capaz de suplantar qualquer oponente.

Em Calulo, o Recreativo de Libolo redimiu-se da derrota da jornada passada e não teve contemplações ao derrotar ontem, em casa, o (im)previsível 1º de Maio por convincentes 3-0, um resultado que coloca a formação de Benguela numa posição que não condiz com o seu estatuto no Girabola.

A formação orientada por Vaz Pinto fez apenas aquilo que lhe competia. Vencer e manter-se no pelotão da frente na disputa para a conquista do campeonato nacional.

Os proletários por mais vontade demonstrada ao longo da partida não tiveram estofo competitivo para surpreender o adversário.

O JGM recebeu o Bravos de Maquis e não conseguiu melhor que um empate, resultado que em nada abona os objectivos preconizados para a época de estreia no Girabola, apesar de trocar de posição e relegar o 1º de Maio para o último lugar.

A equipa do Huambo, não obstante o voluntarismo dos seus atletas que tudo fizeram para vencerem o jogo e darem alegria aos seus adeptos ficaram apenas pela intenção, tudo por culpa da bravura dos maquisardes que não aceitarem ser apenas um simples convidados para fazerem parte da festa.