Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Baixa vista no Girabola

Betumeleano Ferro - 21 de Julho, 2016

Representante do Cuando Cubango sem dinheiro para continuar a competir no Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Diviso

Fotografia: Jos Soares

O presidente de direcção da equipa 4 de Abril do Cuando Cubango, Bento Xavier, confirmou ontem ao Jornal dos Desportos, a formalização junto da Federação Angolana de Futebol (FAF) sobre a desistência do Campeonato Nacional.

"Estamos (direcção do 4 de Abril) a preparar o documento, queremos entregá-lo na Federação, na quinta-feira (hoje) ou o mais tardar na sexta-feira", assegurou.
A entrega do documento à FAF, é o último passo que o 4 de Abril dá para deixar de competir no Girabola ZAP.

"Ainda estamos a trabalhar para formalizar o anúncio que fizemos, mas neste momento já estou a falar em nome de uma equipa, que desistiu do campeonato", sublinhou.
O 4 de Abril vive graves problemas financeiros, os treinadores e atletas estão há três meses sem salários e a direcção concluiu, "depois de séria reflexão", que é melhor desistir do campeonato.

"Não foi uma decisão fácil de tomar, tivemos de tomar uma posição definitiva porque a cada dia, as coisas estavam a ficar mais complicadas", argumentou.

Antes de optar pela desistência, o 4 de Abril tentou alternativas, sem sucesso, nem mesmo o anúncio de desistência feito na segunda-feira, pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral do clube, Ernesto Kiteculo, ajudou a melhor a saúde financeira da equipa. "Até ao momento em que vos falo (ontem) a coisa mantém-se na mesma, não nos interessava sair, queríamos continuar, mas sem dinheiro é impossível", lamentou.

O presidente do 4 de Abril mostrou-se desiludido, por ver a equipa desistir, na segunda volta do Girabola ZAP. Os resultados desportivos estavam a ser favoráveis, o desempenho no primeiro turno aumentou a fé da direcção, treinadores e atletas de atingir o objectivo de evitar a descida de divisão.

"Infelizmente, não tivemos outra saída, senão desistir, estamos muito tristes porque nunca devia ter acontecido numa altura como esta", deplorou.

A presença do 4 de Abril no Girabola causou um grande impacto, na chamada terra do progresso, os jogos caseiros atraíam muita gente ao Estádio, embora de dimensões reduzidas.

"Nós (4 de Abril) mexíamos com a província, principalmente quando jogávamos em casa, muita gente  sentia-se realizada ao ver o Job, Doutor Lami e outros de perto, eram muitas as vantagens, a nossa população ficava alegre, até o índice de criminalidade baixava no dia em que jogássemos, tudo isto acontecia porque antes as pessoas tinham de sair da província para ver um jogo do Girabola", revelou.

Além da Federação, a direcção de Bento Xavier pretende cumprir com a formalidade junto da Associação Provincial de Futebol  do Cuando Cubango (APFCC). "Todo o processo já está a ser tratado para ser apresentado também na nossa APF", afirmou.


GARANTIA
Treinadores e atletas
vão ser indemnizados


A desistência do 4 de Abril força a direcção do clube a rescindir todos os contratos com os treinadores e atletas, seguidos de indemnizações, assegurou o presidente Bento Xavier.
"Não nos resta outra medida vamos pagar a toda a equipa, em respeito aos acordos que tínhamos feito para a época, vamos pagar tudo até o fim da temporada", prometeu.
O presidente evitou mencionar datas, garantiu que a sua direcção e o patrocinador já fizeram as contas e sabem quanto gastar com as indemnizações.

"Temos consciência das consequências que surgem, agora, vamos fazer o esforço de pagar para que no final não fiquemos a dever nada, nem aos treinadores, nem aos atletas", esclareceu.

A desistência aliado aos problemas financeiros são capazes de deixar apreensivos a equipa técnica e o plantel, por causa da dívida existente, que há dias levou os atletas a manifestarem-se em greve, mas Bento Xavier garantiu que a sua direcção quer honrar a sua palavra.

"Há obrigações legais a cumprir, porque os contratos são válidos até Dezembro (deste ano), quando termina a época, significa que temos de pagar os salários até ao fim", afirmou.
A direcção do 4 de Abril compreende que a desistência lesa muito a todos os integrantes da equipa, pois com o início da segunda volta, perderam todas as chances de arranjar novos clubes.

"Tudo isto consta, infelizmente, das consequências do nosso abandono, é por isso, que nos comprometemos em pagar-lhes todos os salários até o fim da época", garantiu.Semanas antes da decisão de desistir do campeonato, o 4 de Abril assinou um contrato com a ZAP para a transmissão de alguns jogos, assim a direcção de Bento Xavier tem mais outro pendente a resolver, pois  recebeu o dinheiro do acordo feito, apenas o embate com o Petro foi televisionado, com o 1º de Agosto era para sábado, já não vai ser disputado.
"Esta é outra questão, que também temos de resolver, agora, não temos outra saída", lamentou o presidente do 4 de Abril.
 BF