Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Benfica e Interclube abrem as hostilidades

Betumeleano Ferro - 14 de Outubro, 2016

Drbi pode trazer pouco ou nada de novo para as duas equipas esta poca na tabela de classificao

Fotografia: Kindala Manuel

Benfica de Luanda e Interclube abrem esta noite, às 18H00, no Estádio 11 de Novembro, a 27ª jornada do Girabola ZAP, num dérbi que pouco ou nada de novo pode trazer para as duas equipa esta época na tabela de classificação.

Ainda assim, procuram a redenção depois dos desaires na ronda transacta. As duas formações têm um futebol pouco atractivo, mas têm unidades nos respectivos planteis capazes de desequilibrar o jogo num laivo de inspiração.

É bem possível que os melhores jogadores queiram ser os protagonistas, afinal o (in)sucesso dos seus emblemas depende também em parte daquilo que são capazes de produzir em campo.

Os polícias demonstram ter mais apetência para jogar em busca do melhor resultado e a maneira pragmática como abordam os seus desafios acaba quase sempre por ser bem sucedida, aliás a equipa orientada por Zravko Logarusic gosta mais de pontos do que dar espectáculos.

O Interclube vai ao 11 de Novembro com a obrigação de puxar pelo adversário já que estão com melhor andamento no campeonato e, por isso, entram em campo com muito mais responsabilidades.

Pelo desempenho dos dois conjuntos esta época e a posição na tabela de classificação a equipa do Rocha Pinto não tem como negar que é favorita e pode funcionar como uma garantia segura para somar mais 3 pontos.

A péssima campanha do Benfica de Luanda no campeonato tem reflexos no modesto 7º. lugar que ocupa, mesmo que vença todos os jogos não tem mais como terminar entre os cinco primeiros do Girabola Zap.

Ainda assim, a águia tem como amealhar uns tantos pontos até ao fim do campeonato e uma vitória sobre os polícias está ao seu alcance. A única questão que se coloca é se vão ser capazes de voar para a vitória.

Zeca Amaral tem um plantel competitivo e a ausência de bons resultados de modo algum diminui o potencial que existe no plantel. A classificação é má, mas têm argumentos para derrotar o Interclube, afinal a diferença de qualidade entre as duas equipas é quase mínima, pelo que a onda encarnada pode provocar uma enxurrada no 11 de Novembro.

As constantes oscilações de rendimento do Benfica acabam por colocar os seus adversários diante de um dilema, reajustar quase sempre as informações que têm da equipa.

O Interclube está bem no campeonato, por isso, não vai cair na tentação de pensar que vai ter facilidades, os polícias têm de puxar dos galões do princípio ao fim para aumentar as chances de êxito.


ABíLIO AMARAL
“Preparámos
a nossa equipa”


O  treinador adjunto do Interclube Abílio Amaral, disse que o  jogo de hoje com as águias da capital não será fácil, pois vêm de uma derrota  diante do Kabuscorp do Palanca. O jogo acontece às 18h00 horas, no estádio 11 de Novembro, referente à 27º jornada  do  Girabola ZAP

"Nos vimos o Benfica de Luanda a jogar, é uma boa equipa com jogadores excelentes e temos a certeza de que não vai ser um jogo fácil, vem de uma derrota na jornada passada e vão de certeza querer melhorar a sua prestação  nesta  jornada o que torna este  jogo bastante difícil", salientou o treinador.

Em face disso, os polícias trabalharam com muita prudência. "Cremos que vamos enfrentar um grupo que vai lutar para conseguir uma vitória em casa ",concluiu.

Quanto ao trabalho o técnico dos polícias, sublinhou que " foi uma semana animada, a entrega dos jogadores foi boa, há vontade e determinação  de conquistarmos os três pontos", sublinhou.

"Como sempre a nossa filosofia é tentar vencer todos os jogos, quer fora quer em casa. Preparámos  a nossa equipa táctica e tecnicamente para este  embate  e tenho a certeza que vamos para este encontro com muito cuidado, mas com certeza da vitória",  acrescentou.

Os polícias, que perderam na jornada passada  diante  do Petro de Luanda, almejam regressar  às vitórias  nesta  jornada , diante de um adversário  que,  na segunda volta do campeonato, não tem estado bem.  

A luta pelo quarto lugar mantém-se viva e tornou-se, por esta razão, o maior desejo da direcção da clube, equipa técnica  e jogadores. As falhas que se verificaram  na concretização das oportunidade  durante o jogo com o Petro de Luanda  é das principais preocupações dos técnicos. Zravko Logarusic  e os seus adjuntos deram primazia a dois sectores que no jogo passado estiveram em baixa ou seja a defesa, com destaque para os centrais , que  tiveram largas culpas nos dois golos sofridos. Outro sector  que mereceu atenção da equipa técnica é o ataque que na jornada passada não conseguiu concretizar as oportunidades criadas.

Os polícias querem terminar  o campeonato da melhor maneira, com vitorias, e por isso, querem manter o ataque super funcional. Por aquilo que podemos observar, o técnico vai apostar basicamente no mesmo "onze" que deverá ser  formado por: Neblu, Chora, Filipe, Fabrício, Valdez, Pirolito, Paty, Crist ou Dasfaa,  Paz, Pulson e Moco. Para  este  confronto com as águias da capital, os policias não vão poder contar com ponta de lança Chico.
O atacante lesionou-se com alguma gravidade  no último jogo que a sua equipa realizou, em casa, diante dos petrolíferos,  e deve ficar de fora dos relvado por um bom período de tempo.    
VALÓDIA KAMBATA