Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Benfica vence Acadmica

05 de Março, 2016

Benfiquistas precisaram apenas de um golo para conquistar os primeiros trs pontos na temporada 2016

Fotografia: Jornal dos Desportos

O mau arranque de campeonato condicionou ontem o Benfica de Luanda na recepção ao Académica do Lobito. As duas derrotas anteriores tiveram reflexo na atitude competitiva da equipa encarnada, mas o golo salvador de Amido Baldé, aos 48´, permitiu a águia respirar de alívio com a primeira vitória e os primeiros pontos no Girabola ZAP.

A ansiedade de quebrar o enguiço em vários momentos estorvou muito o querer das águias, realmente a equipa foi incapaz de esconder a pressão dos maus resultados anteriores, mas na hora da verdade a onda encarnada prevaleceu na etapa complementar porque o Benfica foi mais eficaz do que o Académica, ou seja, marcou e soube ser convincente em gerir até ao fim a magra vantagem.

O Benfica sabia o que precisava fazer para sair da zona aflitiva em que se encontrava, até pode ser verdade de que não jogou tanto quanto se esperava, mas quando se adiantou no marcador ganhou a confiança que lhe faltava nas jornadas passadas, tremeu em alguns momentos mas não caiu.

A intermitente exibição encarnada permitiu ao Académica se esticar no 11 de Novembro durante a etapa inicial, o tento de Baldé mudou por completo a postura dos dois contendores na segunda parte. O golo foi determinante para dar a sacudidela que o Benfica precisava para despertar para os bons resultados, a equipa sofreu quando foi necessário sofrer para impedir que os estudantes prolongassem a sua série negra de maus resultados.

A Académica do Lobito poderia ter saído de Luanda no mínimo com um ponto, os estudantes criaram oportunidades para marcar mas faltou-lhes a mesma eficácia do Benfica de Luanda, pois no futebol valem apenas as bolas que entram, não as que deveriam entrar.

Os estudantes sabiam do mau momento das águias e tentaram tirar bom proveito da situação, mas a equipa forasteira não teve a mesma sorte do 1º de Agosto e do 4 de Abril porque nunca encontrou o caminho do golo. Se tivesse marcado antes ou depois do Benfica é provável que o Académica tivesse saído de Luanda de cabeça erguida, por cumprir com a meta traçada antes da deslocação a Luanda.