Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Bi campeão

Jorge Neto - 29 de Outubro, 2017

Os militares tiveram de colocar o adversário no seu devido lugar com uma reviravolta no resultado

Fotografia: Paulo Mulaza|Edições Novembro

O champanhe jorrou ontem no estádio dos Coqueiros com a vitória do 1º de Agosto sobre o ASA, por 1-0, confirmando a conquista antecipada do título do Girabola Zap, e remeteu os aviadores a uma condição de desespero, porque terão de esperar até a última jornada para saber se permanecem ou se descem ao segundo escalão do futebol nacional.

Os agostinos foram já ao intervalo com a vantagem de uma boa sem resposta, acalmando os seus adeptos que se deslocaram em massa ao estádio dos Coqueiros para apoiar a sua equipa à vitória que daria a conquista do troféu.

O golo de Gogoró aos 43´fez com que a questão do título ficasse com meio caminho andado, enquanto que para os aviadores era o prenuncio de um mal sinal, pois via a luz da sua permanência no campeonato nacional a apagar-se.

Contudo, os pupilos de Paulo Saraiva começaram melhor o dérbi, tiveram maiores oportunidades para marcar, mas Bena e Ayala falharam o alvo, talvez devido ao facto também de estarem pressionados. Por outro lado, os comandados de Dragan Jovic apresentaram-se em grande parte do desafio pouco comprometidos com a partida, estiveram muito distante do desempenho habitual.
Por conta disso, os aviadores alimentavam grandes esperanças que podiam marcar, mas os remates não levavam a direcção desejada, quando não fosse Nuno, por sinal, já representou a equipa do aeroporto, a bola saia ao lado da baliza.

O jogo em si não foi um grande espectáculo, as duas formações acusaram a pressão de lutar por tudo e por nada, e talvez pela postura de paciência adoptada pelos militares conseguiram chegar ao golo por Gogoró aos 44´, após um mal alívio da defesa aviadora.
Numa partida que se esperava muito mais de Buá, Ibukun e Geraldo, os três "carburaram" pouco, e apesar de terem nos pés algumas oportunidades para marcar, não tiveram êxito.

No segundo tempo, os aviadores voltaram a ter a primeira jogada de perigo, porém claudicou na direcção. O técnico Paulo Saraiva foi o primeiro a alterar o xadrez da sua equipa, com a entrada de Yawo e a saída de Love Cabungula, bastante discreto no desafio.
O colectivismo do 1º de Agosto foi suficiente para gerir o jogo e fazer o quanto basta para garantir a conquista dos três pontos e consequentemente festejar após o apito final de Rodrigues Aleixo. Os avançados aviadores tiveram dificuldades para finalizar diante da melhor defesa do campeonato, apesar de construírem jogadas bem estruturadas, mas falharam no momento certo.

MELHOR EM CAMPO
Gogoró decide o título


O médio ofensivo do 1º de Agosto decidiu o jogo que consagrou os militares como campeões nacionais mercê da vitória ontem sobre o Atlético Sport Aviação (ASA).
Sem ser um finalizador nato o jovem teve a calma necessária para atirar a contar dentro da área, numa jogada de recarga, após um desvio de Diogo Rosado defendido por Maguete e mal aliviado pela defesa aviadora. Foi o segundo jogo consecutivo de Gogoró a marcar.

ARBITRAGEM
Bom trabalho
de Rodrigues


O árbitro Rodrigues Aleixo realizou um trabalho sem qualquer influência no resultado final do desafio. Contou com o apoio dos jogadores, que pautaram-se por uma conduta exemplar, que pode ser entendida pela pouca mostragem de cartões amarelos durante os noventa minutos. Não se envolveu em casos polémicos e acompanhou de perto as jogadas. os seus auxiliares Nicodemos Calembela e Francisco Paulo com um ou outro erro ao assinalarem os fora-de-jogos também não comprometeram. 

OPINIÕES
1º de Agosto
Ivo Traça - “Merecíamos ganhar o campeonato”

“Gostaria de agradecer a todos que estiveram aqui no estádio, ao ASA e a todos que estão nas unidades hospitalares. Felicito os nossos adeptos, comissão técnica e direcção do clube. Penso que este título está bem entregues, merecíamos ganhar o campeonato por aquilo que fizemos ao longo do campeonato. Vamos agora virar as atenções para a Taça de Angola onde vamos enfrentar o Progresso do Sambizanga, uma equipa que conhece bem o nosso futebol, mas vamos procurar ganhar para atingir à fina”.

ÃSA
Paulo Saraiva - “Só nos resta levantar a cabeça”

“Sabíamos que seria um jogo difícil, diante de uma equipa que em caso de vitória conquistaria o campeonato, naturalmente nós tínhamos o nosso objectivo definido, que era de ganhar o jogo para lutarmos pela permanência na competição. Infelizmente perdemos o jogo, o adversário marcou e nós não, apesar de termos várias oportunidades para o fazer. O futebol tem dessas coisas, só nos resta levantar a cabeça”.