Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Brilho do Porcelana abafa Petro

Isidoro Natalcio, no Kwanza Norte - 14 de Março, 2013

Brilho do Porcelana foi suficiente para ofuscar a fora do Petro de Luanda

Fotografia: Nilo Mateus

O Porcelana FC conseguiu a sua primeira vitória do Girabola ao vencer ontem no estádio António Fernando Diniz, em Ndalatando, o Petro de Luanda por duas bola a zero em partida pontuável para a quarta jornada da referida competição.

A partida iniciou equilibrada com a bola a rolar na região central do terreno, através de passes curtos. A partir do minuto 15 o Petro de Luanda começou a ganhar algum ascendente ofensivo, obrigando o Porcelana a ripostar com passes em profundidade, tentando explorar a velocidade e drible de Laúcha, médio e extremo esquerdo.

A acção ofensiva da equipa da casa foi também afectada pela falta de desmarcação, sobretudo a entrada do meio adversário. Sempre que o Porcelana chegasse ao meio campo contrário se evidenciavam as lacunas do Petro, como a insegurança, falhas frequentes e sucessivas faltas. Nesta toada, à passagem do minuto 20, Laúcha é travado, de forma irregular no corredor esquerdo, quase cinco metro da grande área. Cobrou-o com conta medida, pondo o esférico na cabeça de Fofana que, livre de marcação na pequena área cabeceou para golo.

O pendor ofensivo do Pedro aumentou, fazendo rolar a bola a toda dimensão do terreno, mas sem eficácia. Sempre que pudesse, o Porcelana partia para o contra-ataque, geralmente comandados por Miro e Kikas. Aos 22 minutos, Kassoma volta a falhar e Kikas quase ampliava na sequência de um remate torto à entrada da grande área da baliza defendida por Lamá. Os últimos 10 minutos foram marcados por forte sufoco do Atlético Petróleo e o Porcelana defendia-se como podia até ao apito do juiz João Ngoma dando por terminado a primeira parte.

SEGUNDA PARTE
A segunda parte arrancou com o Pedro a efectuar duas substituições em simultâneo. Achiapunga entra a render Flávio e Mabiná para o lugar de  Katongo. O poder ofensivo do Petro aumenta, com Mabiná aparecendo cada vez mais a apoiar o ataque. O Petro estava quase todo instalado no meio contrário que, por dificuldade de romper a muralha defensiva, optou por remates à entrada da área. Aos 26 minutos o técnico do Porcelana substitui o avançado Rolf pelo defesa Baseri. O Porcelana foi sacudindo a pressão com determinação, mas às vezes com alguma ingenuidade. Saltou à vista o desempenho do guarda-redes Leo.

Este anulou numerosos remates, sobretudo de Bem Traoré, alguns dos quais já com rótulo de golo. A partir do vigésimo segundo minuto o Porcelana foi acusou  quebra física e por consequência perdia inúmeros passes e evidenciava alguma dificuldade no um contra um. O técnico Miller Gomes ainda fez entrar Kembua, no lugar de Borges, aos 30 minutos, mas sem produzir efeitos visíveis  Finda Moser, por sua vez tirou um homem de ataque, Laúcha, aos 35 minutos e fez entrar o defensor Pedrinha. Contra a corrente der jogo o central severino ganha ressalto no meio campo, corre sobre o corredor centra, l deixa a defesa e a entrada da grande área remata sem hipótese para Lamá fazendo o segundo e último golo da sua equipa.

O melhor jogador em campo foi Leo, guarda-redes do Porcelana, pelas suas inúmeras defesas, transmitiu confiança e revelou possuir bons reflexos.Apesar da vitória, o Porcelana revelou deficiências que devem ser ultrapassadas por urgência, como lentidão nas transições, pouca e inoportunas desmarcações nas acções ofensivas, deficiência nos remates  à baliza e fraca atitude competitiva. O Petro demonstrou poucas soluções quando o adversário faz pressão alta e ineficácia nas triangulações e pouca pontaria.

ALIVIO
Dono da casa
estava assustado


Para o Porcelana do Kwanza-Norte o bom resultado de ontem na verdade funciona com um grande alívio em relação ao temor que os seus aficionados mesmo jogadores tinham do Petro de Luanda que almeja entra em campo de rompante. O técnico do Porcelana do Kwanza-Norte, Joaquim Finda na verdade tinha se mostrado preocupado com a prestação da sua equipa, que em três jogos realizados, havia marcado apenas um golo.

“É preocupante, mas estamos consciente de que estamos a fazer um bom trabalho, a equipa que em três só marca um golo, tem que melhorar a finalização. Acredito que outros golos vão aparecer”, dizia na altura o timoneiro. Já o técnico do Petro de Luanda, Miller Gomes dizia que seria feita alteração na equipa, para gerir um plantel, visando outras competições. “Vamos com todo respeito por eles, porque cada jogo tem 90 minutos, cada jogo tem uma história diferente, naturalmente temos de inverter a história do jogo passado para continuarmos na senda das vitórias, moralizar o grupo, encarar o jogo das Afrotaças, que vem com outro tipo de motivação”, disse então o treinador tricolor.

FINDA MOZER
Porcelana

E equipa está no bom caminho

Sabíamos que havíamos de melhorar, foi com o Petro, acredito que a equipa está no bom caminho, vamos continuar a trabalhar, por que precisamos de mais vitória e em casa. Acreditem em nós para as que as outras vitórias aconteçam com naturalidade. Confiamos na nossa equipa e os adeptos e sócios devem continuar a apoiamos para no fim representarmos bem a província com metas atingidas. É por isso que estamos todos aqui a festejar a vitória”

REALIDADE
Petroliíferos ainda
têm de melhorar

O director do Petro de Luanda ao dizer ontem que " mais uma vez, não foi capaz de ultrapassar o adversário, marcando golos e que está de parabéns o Porcelana FC que deu boa réplica e marcou dois golos que ditaram a nossa segunda derrota consecutiva no Girabola” está reconhecer que tem de mudar a forma de jogar no domingo diante do Supersport United da África do Sul. O técnico do Petro de Luanda, Miller Gomes no ano passado cumpriu a cinquenta por cento dos objectivos traçados pelos petrolíferos para a época. O timoneiro tricolor apontou a conquista da Taça de Angola como o cumprimento de uma das metas que foi traçada, mas mostrou-se insatisfeito, por um lado, por não ter ganho o Girabola. Miller Gomes começou a época como adjunto do técnico  Maksimovic, que foi despedido.

DECLARAÇÃO DOS TÉCNCOS
MILLER GOMES
Petro

O Petro tem responsabilidades na prova”

“Falta marcar golos, qualquer jogador do Petro tem de ter consciência disso e tem de trabalhar para isso. Temos jogo domingo, era preciso fazer gestão do plantel, o que fizemos, mas não é isso que justifica, porque o Petro tem responsabilidades no campeonato e quando os resultados não aparecem temos de repensar. Vamos continuar a trabalhar, essa é só a quarta jornada. É bem verdade que estamos a atrasar mas, temos muito pela frente.