Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Cala adia festa do campeo

Pedro Augusto - 21 de Setembro, 2009

Recreativo da Cala vence Petro de Luanda (3-1)

Fotografia: Jd

 O Girabola 2009, que ontem fez disputar mais três jogos da vigésima-segunda jornada, continua sem rei. Melhor, o Petro Atlético de Luanda não conseguiu aproveitar a “boleia” oferecida na véspera pelo Benfica de Luanda (perdeu diante do Atlético Sport Aviação por uma bola a três) para, deste modo, sagrar-se antecipadamente campeão nacional.
O carrasco do Petro de Luanda foi o Recreativo da Caála que ontem, no estádio dos Kurikutelas, no Huambo, foi suficientemente capaz para travar a euforia do adversário e, deste modo, fazer com que o champanhe saído da capital se mantivesse a congelar nas arcas térmicas tricolores. O triunfo por três bolas a uma, e que provou uma grande festa no Planalto Central, é esclarecedor.
Apesar da derrota, a terceira em 22 jogos, o Petro Atlético de Luanda continua a depender apenas de si para festejar mais um titulo no Girabola, ao contrario do 1º de Agosto e do Benfica de Luanda, seus mais directos perseguidores, pois, as duas equipas para chegarem ao primeiro lugar, necessitariam de vencer os quatro jogos que têm pela frente e esperar que o campeão perca todos ou empate um e saia derrotado dos restantes.
Se o Petro viu hipotecada a hipótese de conquistar antecipadamente o título do presente campeonato, o Recreativo da Caála deu um passe de gigante na tabela classificativa, pois, em função da vitoria de ontem, a equipa da terra do milho saltou da décima para a sétima posição.
Com a ascensão do angolano João Patrick Kódia no comando da equipa, em substituição do português Jorge Paixão, a Caála ganhou mais confiança e está a livrar-se da zona vermelha da competição.

KABUSCORP DESPERTA

Quem voltou a dar um ar da sua graça no campeonato foi o Kabuscorp. A equipa do Palanca, embora se mantenha na zona da despromoção (12ª posição), amealhou mais três pontos na luta incessante pela manutenção no Girabola, mercê do triunfo sobre a Académica do Soyo por duas bolas sem resposta.
A vitória do Kabuscorp do Palanca ameaça o quinto lugar dos estudantes do Soyo, já que a equipa sensação do presente Girabola vê-se “acossada” pelo Atlético Sport Aviação (ASA) e pelo Recreativo da Caála que saíram igualmente vitoriosos na vigésima-segunda jornada. 
Vitorioso, ontem, foi igualmente a Académica do Lobito. Os estudantes que receberam o Clube Desportivo da Huíla, no estádio Edelfrides Costa, em Benguela, mostraram que não estão na competição para oferecer pontos.
A equipa treinada por Agostinho Tramagal tem sabido honrar o nome da instituição que defendem em todos os jogos que participam. Por isso, o triunfo por uma bola a zero foi o corolário dessa determinação.

Maquis e Santos
jogam quarta-feira

A vigésima-segunda jornada do Girabola, aberta na última semana, com o triunfo do 1º de Agosto sobre o Interclube, por 2-1, encerra na próxima quarta-feira, no Luena, com o desafio FC Bravos do Maquis – Santos FC.
O desafio do Luena é de capital importância para as duas formações, principalmente para o Santos FC, que se encontra na linha da despromoção.
O FC Bravos do Maquis, por jogar em casa, é favorito à conquista dos três pontos. Contudo, o favoritismo que lhe é atribuído deverá ser confirmado em campo, porque uma derrota caseira pode igualmente comprometer as aspirações da equipa de João Machado na competição. Aliás, os 26 pontos que possuem, na décima posição, ainda constituem seria ameaça para a manutenção.
Em pior situação está o seu adversário. Os santistas que agora tem as atenções concentradas na competição interna, depois de falharem, sábado último, a qualificação às meias-finais da Taça da Confederação, estão na 11ª posição com os mesmos 25 pontos que o Kabuscorp do Palanca, por isso, condenados a somarem pontos daqui para frente.
Este desafio não foi disputado na data inicialmente programada, ontem, em virtude do engajamento do Santos FC na Taça da Confederação.