Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Cala pe prova Desportivo

Betumeliano Ferr?o - 09 de Julho, 2017

Militares da Regio Sul esto com boa pedalada na segunda volta do campeonato.

Fotografia: Mota Ambrsio/ Edies Novembro

A segunda volta começou promissora para o Desportivo da Huíla, os resultados são animadores e dão esperança aos adeptos. É por isso que o Clube Recreativo da Caála (CRC) é o adversário ideal para aprovar a aparente nova personalidade competitiva dos militares da Região Sul, pois fez mudanças no comando técnico e necessita de resultados urgentes para justificar o regresso de David Dias.

A vantagem pontual do CRC pode significar muita coisa se a equipa forasteira for irrepreensível do princípio ao fim, pois os militares gostam de se agigantar de maneira inesperada. Os caalenses conhecem este lado dos militares e têm a obrigação de evitar que estes tenham tempo de fazer gracinhas.

O Desportivo da Huíla está a viver uma boa fase na segunda volta, mas o passado ainda persegue a equipa de Mário Soares. Uma vitória sobre o CRC é o ideal para os militares provarem que têm mesmo capacidade de dar sequência a tendência de bons resultados no segundo turno do Girabola ZAP.

O CRC está em busca de uma nova identidade, esta pode levar mais algum tempo a se tornar realidade, mas ninguém melhor do que o técnico David Dias e pupilos percebem a importância de ganhar o máximo de jogos possíveis, para consolidar os novos alicerces lançados pelo novo corpo técnico.

A posição do Desportivo e do CRC na tabela classificativa deixa antever um jogo em que o equilíbrio é capaz de ser a nota dominante, ainda mais por que os planteis são quase equivalentes. Ainda bem que é assim, pois dá as mesmas chances as duas equipas de se esticarem para chegar à vitória.

O Desportivo da Huíla está uns bons lugares acima da linha de água, mas tem de ter cuidado para não ser atraiçoado pela falsa sensação de segurança. A bem da verdade, a vantagem pontual dos militares não é tão grande assim em relação a algumas das equipas que na zona da despromoção, o que significa que uma derrota contra o CRC pode tramar Mário Soares e pupilos.

Um empate até serve muito bem aos objectivos dos militares, mas nada indica que o Desportivo vai aceitar adoptar uma postura humilde perante os seus adeptos. O CRC não é um candidato ao título mas tem fome de pontos e vontade de provar em todas as jornadas que tem plantel para chegar, ver e vencer em qualquer campo, ainda mais quando o adversário é acessível como o Desportivo.                          
BF