Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Cala sofre mas trava 1 de Agosto

Jorge Neto - 09 de Agosto, 2018

Militares perderam dois pontos ontem no 11 de Novembro mas aumentaram a diferena para 3 sobre o rival tricolor

Fotografia: Agostinho Narciso | Edies Novembro

A julgar pelo número de remates feitos à baliza de Beny, a equipa do 1º de Agosto sairia vencedora do desafio, mas faltou acertar o alvo, quando se precisou, daí o empate nulo diante do Recreativo da Caála, ontem, atrasando, deste modo, a sua corrida para o título da presente época. 
Jogando de calculadora à mão com objectivo de fazer as contas que visavam encurtar a caminhada para o tricampeonato, os agostinos tiveram maior posse de bola no primeiro tempo, jogaram mais no meio-campo do adversário, mas encontraram dificuldades para furar a bem arrumada defesa gizada pelo técnico David Dias.
Com o regresso de Bobó na zona central da defesa a equipa esteve segura atrás, aliás, os caalenses incomodaram pouco o último reduto militar, onde Tony Cabaça foi um mero espectador na primeira metade. A postura mais defensiva adoptada pelos visitantes complicou em demasia as acções do 1º de Agosto, que pensava apenas em chegar ao golo.
O destaque no primeiro tempo pertenceu ao jovem Mário, médio agostino, rematou duas vezes ao poste, aos 13´e 35´, criando dois dos três lances de perigo para a baliza de Beny, muito atarefado no desafio. O outro perigo saiu dos pés de Razaq, aos 24´, que desviou a bola meio surpreso.
O jogo tinha apenas um sentido, pois os pupilos de David Dias acusaram em demasia o factor casa do adversário e defendiam no seu meio campo, saindo para o contra-ataque, que aconteceu poucas vezes, em função do bom rendimento de Macaia e Mário, na destruição das jogadas.No reatamento os agostinos sabiam que tinham de fazer mais para marcar, se quisessem ganhar o jogo, e o técnico Zoran Maki não perdeu tempo e lançou Buá para o lugar de Macaia, mas isso só não bastou.
A tarde pertenceu a dois jovens jogadores, Mário e Beny, o último travou todas as bolas que chegassem à sua baliza, inclusive conquistou o título de melhor jogador em campo, pelo número de defesas que realizou.
Do ponto de vista do futebol jogado o 1º de Agosto não esteve distante do que fez nos últimos jogos, a diferença foi mesmo o facto da bola não ter entrado na baliza adversária, porque teve pela frente um guarda-redes bastante motivado e o poste que travou igualmente quatro bolas.
Os militares remataram em demasia com intenção, cheirou a golo em diversas ocasiões, mas Mário, Ibukun, Mongo, Guelor, Melono e Bobó, no último lance não tiveram o sucesso que desejavam.
Do outro lado esteve uma equipa a precisar de pontos para fugir à despromoção e jogou o suficiente para sair do estádio 11 de Novembro com um ponto, para distanciar-se dos seus mais directos perseguidores para manutenção no campeonato, inclusive usou a queima de tempo para esfriar o jogo.

ARBITRAGEM
Paulo Sérgio teve uma tarde de muito trabalho. Fez uma boa actuação na primeira metade, mas na segunda acabou por manchar a sua exibição. O árbitro internacional guardou o cartão amarelo para o segundo tempo, e não exibiu maioritariamente para os jogadores do Caála, que optaram pelo anti-jogo, com a queima de tempo, algumas vezes com a permissão do juiz.
Os jogadores da formação da província do Huambo fizeram muitas faltas, inclusive Paulo Sérgio evitou a mostragem do segundo cartão amarelo e consequentemente o vermelho.


OS TÉCNICOS

IVO TRAÇA
“Faltou-nos sorte”  
 
\"Estivemos bem no jogo, faltou-nos sorte. Vamos dar mérito também à equipa do Caála, que se fechou muito e bem. Nós até podíamos sofrer um golo de contra-ataque. Mas dizer que antes deste jogo fizemos cinco partidas intensas, onde os jogadores desgastaram-se muito. Vamos descansar os jogadores, temos mais um jogo no domingo, com o Domant, acho que será a mesma coisa, vamos ter que correr para ganhar ao nosso adversário que está numa zona aflitiva\".

DAVID DIAS
“Merecemos o empate”   

\"Em função da equipa com quem jogámos o resultado é satisfatório. O 1º de Agosto é candidato ao título, é a equipa com muitos títulos em Angola, tem belíssimos jogadores, mas minha juventude veio cá mostrar que eles também são capazes de bater de igual para igual com equipas deste nível. Fomos felizes hoje (ontem), as outras vezes as bolas batem no poste e entram. Hoje (ontem) bateram e o nosso guarda-redes defendeu e o futebol é isso. É preciso que haja fé, eles acreditaram e estão de parabéns\".