Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Cala tenta a reabilitao

Betumeleano Ferro - 16 de Outubro, 2016

O CRC tem um ligeiro favoritismo, porque demonstra mais regularidade do que o Sagrada

Fotografia: Jos Cola

 As duas equipas lutam por alcançar pontos, a partir das 15 horas, um eventual triunfo caseiro  permite ao CRC ir ao encontro daquilo que às vezes tem sido lógica quando joga perante os seus adeptos.

As duas equipas estão tranquilas, nenhuma delas está na classificação que ambicionam, mas ainda têm alguns jogos como o desta tarde, para ganhar mais pontos.

O CRC tem um ligeiro favoritismo, porque demonstra mais regularidade do que o Sagrada, a incerteza no futuro do técnico Zoran Maki  tira o brilho aos diamantíferos.

O CRC tem a vantagem da altitude, mas precisa de mais outros trunfos para  derrotar o Sagrada Esperança. O clima pode  ser um bom aliado para quem joga em casa, ainda assim, é necessário arrojo competitivo para encurtar o caminho da vitória.

A ponta final do campeonato dá algumas oportunidades ao Sagrada, para acordar da sonolência, o plantel é competitivo, mas demonstra estar a pagar devido a problemas internos que originaram o afastamento, ainda não se sabe se definitivo, de Zoran Maki.

O Sagrada Esperança aparenta possuir  um plantel recheado de mais soluções, tem jogadores com muitos anos de militância no Girabola. Ainda assim, há motivos para acreditar que os diamantíferos entrem cautelosos, talvez adoptem uma atitude de espera, para ver até onde o CRC é capaz de chegar.

O CRC e o Sagrada demonstram  pouca apetência a marcar muitos golos num mesmo jogo, mas gostam de marcar com alguma regularidade. Os dois contendores até podem passar ao largo numa jogatana, mas podem proporcionar um duelo renhido, porque têm plantéis para jogar acima da média.

Um empate em nada ia beliscar o desempenho dos dois contendores, mas é fácil perceber por que o Sagrada Esperança vai à Caála muito mais interessado em somar 3 pontos.

A segunda volta está a ser pouco famosa para os diamantíferos, os triunfos tornaram-se raros, mas Love e companheiros podem arrancar uma vitória em casa alheia, como aconteceu na jornadas anterior com a Académica.

ACADÉMICA- DESPORTIVO
“Estudantes” repartem pontos no Buraco


A Académica do Lobito pelo a jogar com forte ovação do seu público, no estádio do Buraco foi obrigado a acordar um empate (2-2) com o Desportivo na Huíla, no estádio do Buraco.

A equipa (não) justificou, não concretizou, o que exercitou ao longo da semana, em que saltou muito a vista os a aspectos defesa homem a homem, marcação rápida, principalmente em lances de bolas paradas.

Nenhum destes factos de jogo funcionou e, como se viu no final, o técnico abandonou o estádio sem ver a sua equipa a baixar as linhas e defender bem, no sentido de manter o adversário sob pressão, obrigá-lo a cometer erros e aproveita-los ao máximo.

Sabia que nos últimos jogos, principalmente em casa, o Desportivo tem sofrido muitos golos de bolas paradas e contra-ataques rápidos, tudo por  falta de da defesa, mas não tirou proveito disso no Lobito.