Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Campeo quer voltar ao comando

Teixeira Cndido - 17 de Maio, 2015

Recreativo da Cala recebe esta tarde o confrade do Libolo num jogo com elevado grau de dificuldades para os dois conjuntos que almejam a conquista dos trs pontos

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Recreativo da Caála e Recreativo do Libolo fecham hoje, no estádio Mártires da Kanhala, no Huambo, a jornada 13 do Girabola, aberta sexta-feira com a vitória do Benfica de Luanda sobre a Académica do Lobito por 2-0. É uma partida de extremos, ou seja, do penúltimo colocado e do segundo.O Libolo vai ao Huambo com a obrigação de resgatar das mãos dos “encarnados” a liderança, enquanto o Caála procura o caminho para sair da crise. É público que a crise de resultados da formação do Huambo não é apenas desportiva ou de resultados. É antes  uma  crise administrativa e que por consequência, estende-se ao relvado. A política de austeridade, imposta pela direcção da equipa, tem arrastado igualmente a motivação dos jogadores.

Os adeptos do Caála esperam, no entanto, que a vitória arrancada na última partida frente ao FC Bravos do Maquis, possa contagiá-lo para outra exibição hoje frente ao campeão Libolo. Há uma enorme diferença entre o Libolo e o FC Bravos do Maquis, curiosamente, outra equipa com dificuldades financeiras. A equipa de Calulo é campeão nacional, tem argumentos competitivos para revalidar o título, por isso, tem outras obrigações. Por exemplo, somar pontos frente a equipas pequenas ou de outro campeonato. Por força disso, o Libolo apresenta-se como favorito à conquista dos três pontos, apesar de jogar fora do seu reduto.


CR CAÁLA
Equipa assume favoritismo


Com os grandes, o Recreativo da Caála não tem podido fazer grandes resultados. Na nona jornada defrontou em casa, o Interclube, e perdeu. Não há registo de ter ganho um dos colossos do Girabola.Já o Recreativo do Libolo é diferente. Em qualquer estádio faz e tem feito resultados positivos.Na 11ª jornada ganhou num terreno complicado, na Lunda-Sul, e em Luanda frente ao Interclube empatou, embora tivesse muitas queixas por parte da direcção dos polícias. E não seria coisa de outro mundo ganhar na Caála. O mínimo que se espera do Libolo nesta deslocação é um empate. Uma derrota é inesperada. O campeão está pressionado pelos seus adversários directos, que fizeram o que lhes competia: ganhar.