Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Campeo tropea e continua em quinto

Antnio Flix - 20 de Abril, 2015

Recreativo do Libolo reclama do trabalho do rbitro Helder Jos

Fotografia: Kindala Manuel

Um dos detalhes, que saltam à vista na nova jornada do Girabola, é o facto do campeão nacional Recreativo do Libolo, agora que já não está na Liga dos Campeões Africanos, estava fortemente apostado em subir para o segundo lugar e lá estar à espreita da liderança do Girabola no sábado.

Entretanto, a deslocação que fez a Luanda viu esse sonho adiado, porque o Interclube, que está a liderar a prova, “forçou” a repartição de pontos.

Com  o empate, esse desejo imediato da equipa de Calulo foi  postergado para a próxima jornada, até lá, só tiver força anímica para vencer o Atlético Sport Aviação e ainda assim, esperar que o Interclube venha a baquear diante da Académica do Lobito.

Na verdade, agora com 17 pontos não teve medo do campeão nacional e neste particular, embora empate não seja derrota, valeu a afirmação da véspera do jogo, feita pelo técnico búlgaro Ilian Iliev em  como ia jogar de peito aberto com a equipa do francês Sebastien Desabré.

Não é à toa que o treinador disse que o empate saldou-se em decepção, pois almejava mesmo o topo. Ele e seus rapazes queixam-se de que o árbitro Helder José teve culpa no empate, mas em termos de jogo jogado como se diz ,assistiu-se a um taco a taco no relvado e a repartição de pontos ajusta-se à prestação de ambas equipas, por isso também, bem colocadas nas posições em que estão.

SAMBILAS

A bonança parece ter regressado às hostes da formação dos sambilas, o  Progresso. A vitória de 2-1 em casa, Estádio da Cidadela Desportiva, diante do Desportivo da Huíla, permitiu ao novo treinador Albano César estrear-se com vitória, um feito que na certa, traz outro oxigénio ao conjunto que no “consulado” do técnico Mário Calado estava a soçobrar, quase a perder jogos em catadupa.

Tratou-se de uma vitória à tangente, mas suficiente para galvanizar a equipa para a deslocação que vai fazer na décima jogada a casa do Domant FC e depois para a 11ª  receber em casa, Estádio da Cidadela, o campeão Recreativo do Libolo.

O Bravos do Maquis voltou a mostrar aos seus adversário,que  não é obra fácil saírem do Luena a sorrirem. O Domant regressou ao Bengo com a derrota de três bolas a uma.

A sétima posição que os maquisard ocupam ajusta-se à maneira como este ano estão a abordar o campeonato, como sublinhou recentemente a direcção, a meta não pode ser ainda o título porque faltam recursos para tal.

A meta mínima, definida para a equipa técnica actual mesmo pela a anterior liderada por Vítor Manuel, era de ficar entre os cinco primeiros lugares de modo que  se está na sétima posição,  falta ainda muito “campeonato” por se jogar o desejo pode ser alcançado.


PRÓXIMOS ADVERSÁRIOS
1º de Agosto e Kabuscorp no “caminho” do Petro


O Petro de Luanda  foi “varrido” (1-3) na nona jornada pela Académica do Lobito, porque  como reconheceu o seu técnico, Alexandre Grasseli, ficou em campo cerca de 70 minutos de futebol que não é peculiar na equipa.

“Ficamos quase letárgicos, não conseguimos jogar durante 70 minutos”,  disse honestamente o técnico, obviamente, por essa razão, a  derrota de 1-3, averbada não podia fazer o treinador, adeptos e sócios saírem do estádio a sorrirem. Uma equipa como a dos tricolores, mesmo que não estejam a jogar este campeonato com a pretensão de chamar a si o título, pode na mesma apresentar bom futebol no sentido de lá mais para o final da prova, ter uma classificação honrosa.

Os jogos da primeira volta não estão sair a contento para o Petro, e isso pode estar já a comprometer as metas definidas para a competição. Tem de começar a fazer correcções nos jogos que se seguem, quaisquer deles com adversários de respeito.

O próximo, marcado para o Estádio 11 de Novembro em Luanda, chama-se 1º de Agosto, depois Kabuscorp do Palanca. O primeiro já é no sábado  e o segundo, uma semana depois, também no mesmo estádio, o que pode significa que o Petro tem seis pontos a disputar para não cair degraus abaixo.
 A.FÉLIX