Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Campeão "garimpa" nas Mangueiras

Paulo Caculo - 25 de Setembro, 2016

A equipa de Saurimo procurava sempre dar uma reposta a altura aos insultos e atrevimento do seu visitante mas faltava quase sempre calma

Fotografia: Paulo Mulaza

Ao médio Erivaldo pode o Libolo agradecer os três pontos conquistados ontem, na deslocação a Saurimo (Lunda Sul), frente ao anfitrião Progresso, no estádio das Mangueiras. O golo, rubricado aos 37 minutos, ditou a história de um jogo marcado por períodos de claro domínio imposto pelos campeões nacionais que ainda tiveram tempo para desperdiçar uma mão cheia de oportunidades.

Pressionado pela necessidade imperiosa de vencer, para evitar que seja distanciado pelo 1º de Agosto, não admirou que o Libolo fosse imprimir grande dinâmica ao seu futebol. Fruto desta atitude, os libolenses até pareciam estarem a jogar em casa, pois tal era o domínio territorial exercido na partida.

Mas nem por isso o Progresso baixava os braços. A equipa de Saurimo procurava sempre dar uma reposta a altura aos insultos e atrevimento do seu visitante. Faltava quase sempre calma, discernimento e serenidade aos avançados para, na hora da finalização, concretizarem com êxito as jogadas.

Era, no entanto, o Libolo quem mais atacava e revelava-se melhor esclarecido nas suas abordagens ao último reduto dos donos da casa. E, foi como que água mole em pedra dura, que os campeões em título chegaram ao golo, passados 37 minutos, na sequência de um livre, em que Edy cruza perfeito para a cabeça de Erivaldo, que empurrou certeiro para o fundo das redes.

A perder, esperava-se melhor postura do Progresso. Mas, debalde. Os lundas continuaram a ser uma equipa muito permissiva nos seus sectores mais recuados e por tiveram sorte em não sofrer, quatro minutos depois, mais um golo, não fosse o desperdício de Luís Filipe.

A verdade é que o Libolo pressionava quanto bastasse. Os libolenses mostravam-se mais pragmáticos no ataque. Os donos da casa até poderiam igualar, na segunda parte, mas continuava a faltar eficácia ao ataque da equipa de Kito Ribeiro.

O campeão surgiu na segunda parte muito mais confortável, melhor a explorar os espaços vazios e a criar ocasiões para chegar ao segundo golo. Umas vezes por Erivaldo e outras tantas por intermédio de Luís Filipe, o conjunto do Cuanza Sul dava a ideia clara de querer alterar o resultado.

A equipa de João Paulo Costa jamais deixou de fustigar o adversário. Tal postura foi positiva, na medida em que permitiu ao conjunto ganhar espaços para jogar em terrenos adiantados do seu meio campo. Fruto desta pressão derradeira, decorridos 80 minutos, a defesa do Progresso chegou a "abanar" e só não voltou a cair aos pés do ataque libolense, porque o central Kuagica esteve numa tarde igualmente endiabrada a sacudir toda a pressão e evitar o pior para sua equipa.


OPINIÕES

João Paulo Costa

Libolo

“Importante
foi vencer”

"Penso que cumprimos com o nosso objectivo, porque o importante foi vencer mais esta partida. As duas equipas estiveram muito bem e tenho de dar os parabéns aos meus jogadores, neste particular, pela grande dedicação ao jogo, mas sobretudo pelo esforço de tentarem ultrapassar um adversário que a jogar em casa procurou fechar-se máximo".


Antonio Jamba
Progresso

“Derrota
fora dos planos”

"Esta derrota não estava nos nossos planos, infelizmente é assim, a bola é redonda. Perdemos o jogo, mas vamos levantar a cabeça, não vamos atirar a toalha ao tapete, porque queremos continuar a lutar até ao fim. Foi uma primeira parte que procuramos dar resposta positiva, mas não fomos eficazes".