Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Campeo Nacional com falhas no ataque

Jorge Neto - 25 de Maio, 2017

Apesar disso, os nmeros do 1 de Agosto nesta fase da competio so bastante optimistas

Fotografia: Jornal dos Desportos

A derrota no último jogo teve os mesmos números do primeiro turno do ano passado, ou seja, 2-0, e colocou em xeque o principal objectivo dos campeões nacionais em fechar a primeira volta na liderança do campeonato, um deslize bem aproveitado pelo rival Petro de Luanda, que assumiu a posição com a goleada sobre o 1º de Maio de Benguela por 4-1.

Apesar disso, os números do 1º de Agosto nesta fase da competição são bastante optimistas, pelo facto de somar 33 pontos, menos um que o líder Petro de Luanda, 24 golos marcados (menos um que os tricolores) e com os mesmos sete golos sofridos, dividindo entre ambos a melhor defesa da prova.

Em 2016, o 1º de Agosto estava embalado e tinha um registo superior, com 35 pontos na liderança, à frente do segundo classificado, Recreativo do Libolo, 30 pontos. Os militares haviam marcado 30 vezes e consentiram 13 golos. Isso mostra que em 2017 baixaram a sua eficácia no ataque, mas melhoraram no capítulo defensivo.

A explicação por este deslize da formação orientada pelo bósnio Dragan Jovic pode ser compreendida por vários factores, sendo um deles a maior competitividade no campeonato, pois os petrolíferos que haviam terminado na terceira posição, com 27 pontos, somaram mais 7 pontos.

Os pontos perdidos diante dos candidatos ao título, respectivamente Sagrada Esperança (derrota por 1-0), Petro de Luanda (empate a zero), Recreativo do Libolo (empate a duas bolas) e Kabuscorp do Palanca (derrota por 2-0) são igualmente factores que pesaram nos números do campeão nacional. O empate a um golo na deslocação à Caála também contribuiu para a diminuição da pontuação do conjunto militar.     


1º DE AGOSTO
Lesões agravaram situação da equipa


As sucessivas lesões que assolaram o plantel do 1º de Agosto na primeira volta do Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, Girabola Zap, tiveram igualmente influência na prestação da equipa na primeira volta da competição.

Alguns jogadores influentes na manobra da equipa treinada por Dragan Jovic, como o guarda-redes Dominique, que se lesionou na pré-época, ficaram fora dos relvados acima de um mês.

O guarda-redesTony Cabaça, por exemplo, não joga desde à 11ª jornada, altura em que contraiu uma lesão. O avançado Diogo Rosado está sem disputar um jogo desde à 13ª ronda, o médio Ibukun  regressou na 15ª ronda, depois de ter ficado inactivo a partir da 7ª, ao passo que o extremo Geraldo não jogava desde à 10ª jornada. O jogador regressou na última ronda.

Outro jogador que também passou pelo departamento médico e o avançado Guelor, falhou as cinco primeira jornadas do campeonato. O lateral direito Isaac, que se lesionou na 5ª jornada, foi operado no início deste mês, em Portugal, e disse adeus a presente época.

Pelo departamento médico liderado pelo Drº Abel Sanz passaram igualmente os laterais esquerdo Paizo e Natael, além do defesa-central e capitão Dany Massunguna.

Por outro lado, a defesa militar foi  a mais consistente na primeira volta do Girabola Zap, com sete golos sofridos, consentindo dois golos em apenas duas ocasiões, repartindo a posição de melhores com o rival Petro de Luanda.

Apensas duas equipas conseguiram marcar dois golos ao conjunto militar, nomeadamente o Recreativo do Libolo (empate a duas bolas na 11ª jornada) e o Kabuscorp do Palanca (derrota por 2-0, na 15ª).   
JN