Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Campeo no Leste e drbi cartaz da ronda

Betumeleano Ferro - 21 de Outubro, 2019

Interclube e Petro protagonizam o jogo de cartaz na quarta-feira

Fotografia: Paulo Mulaza | Edies Novembro

O calendário do campeonato faz do 1º de Agosto e do Petro de Luanda como que convidados de uma festa em que esperam a vez de dançar com a mesma dama. É, por isso, que o dérbi entre polícias e tricolores tem tanto de interessante, como o jogo entre maquisardes e militares.Os eternos rivais estão no cartaz da nona jornada, têm empreitadas difíceis,  estão proibidos de desperdiçar pontos, numa ronda que vai ser disputada toda na quarta-feira, dia 23.

A partida do Mundunduleno vai começar mais cedo, às 15h00, com o campeão a tentar uma vitória sem o sofrimento do costume.  A equipa do Moxico costuma fazer pela vida para se  agigantar diante dos seus adeptos, mas sem sucesso,  porque o lugar comum dá razão aos militares, que com maior ou menor dificuldades acabam sempre por ficar com os três pontos.

Os rubro - negros já amargaram em casa dos maquisardes, deram às voltas necessárias para encontrar o beco de saída, para  a solução e o desafogo que agora está à olho nu. É verdade, que o 1º de Agosto não está adormecido ao doce passado, a maneira como usa o martelo e o escopo revela a alma de campeão, um plantel que não se abala, até mesmo quando tem de ser paciente para aguardar até quase o apagar das luzes, para marcar e respirar de alívio.

A equipa orientada por Dragan Jovic vai ao Luena com a convicção de que tem de sobreviver para continuar com a mão na massa. É verdade, que muita gente já não tem mais dúvidas das suas capacidades em superar todas as adversidades possíveis. 

A bem da verdade, o desaire ante o Progresso serviu para o campeão tirar as coisas boas do seu tesouro e reagiu sem deixar mancha nem mácula. Com atitude competitiva não deixou margens para ninguém pensar, que voltaria a cair nos pecados do passado. A série de vitórias seguidas que conseguiu abrir, é a melhor prova da sua capacidade de reacção.

A campanha do FC Bravos do Maquis está a ser marcada com altos e baixos, mas o que conta mesmo é a colheita de pontos, que faz com que estejam a ver de perto o pelotão da frente. Uma vitória "inesperada" sobre o 1º de Agosto, é capaz de fazer com que continuem o seu passo e a subir na classificação.

Os ecos do que estiver a acontecer no Mundunduleno, vão, seguramente,  ter repercussões no dérbi do Estádio 22 de Junho, mas vai ser necessário esperar até o último apito, para ver quem entre Interclube e o Petro de Luanda vai lucrar com a situação, no jogo que começa às 15h30. Quem for mais audaz e puser em prática o que preparou para ganhar mais três pontos, vai com certeza chegar até a meta traçada, pois , de modo algum vai precisar de perder o foco, ainda mais porque vai estar sempre com a faca e o queijo na mão.

A pressão de vencer vai testar, outra vez, o poder competitivo dos tricolores, que sabem o que é ser feliz no Rocha Pinto, pois, em várias ocasiões já obtiveram resultados folgados, mas isso, agora, faz parte do doce passado, que a equipa tem dificuldades de recuperar. A qualidade mora no plantel de Cosano, mas demora a sobressair para desobstruir o caminho. Era expectável, que nessa fase do campeonato o técnico e os pupilos estivessem mais folgados na exibição, resultados e classificação.

O Interclube de Angola é incapaz de amaldiçoar o calendário, desde o princípio que sabia que ia dançar, de maneira consecutiva, com os dois rivais. Realmente, a primeira música deixou marcas nos pés, agora, contra o Petro de Luanda a história tem de ser diferente, até o empate seria suficiente para evitar males maiores.Todos sabem qual é o ponto fraco dos polícias, quando os resultados demoram a aparecer, a direcção como que salta do banco e enfraquece a posição da equipa técnica perante o plantel.