Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Campeo no Leste quer inverter a marcha

Betumeleano Fero - 22 de Junho, 2018

1 de Agosto na segunda volta do campeonato. Os militares vm de dois desperdcios seguidos

Fotografia: Santos Pedro | Edies Novembro

A vitória demora à chegar para o 1º de Agosto na segunda volta do campeonato. Os militares vêm de dois desperdícios seguidos, mas esta tarde, a partir das 15h00, vão tentar fazer progressos nas chanas do Leste, diante do intermitente FC Bravos do Maquis. 
O estádio Mundunduleno vai ser pequeno, para conter a enorme vontade do líder de regressar aos triunfos. Como a ambição é reajustar o passo em falso das rondas anteriores, é fácil perceber que o campeão terá o foco centrado apenas nos três pontos.
Um desaire seria desastroso demais para os rubro negros e, nem o empate seria um resultado aceitável, para quem está ansioso em vencer na segunda volta.
A sequência de maus resultados está a fazer mossa ao grupo e a deslocação ao Mundunduleno vai pôr à prova, a verdadeira competência do técnico Zoran Maki e do seu plantel. Os militares ou somam os três pontos, ou a confiança dos adeptos começa a dar lugar ao pessimismo, pois, não é aceitável que de noite para dia o 1º de Agosto, que terminou a primeira volta com a mão na massa, precisa de aprender como se ganha um jogo. A equipa sente à pressão de todos os lados. Ainda bem que é assim, porque vão ao Mundunduleno revoltados e com enorme vontade de começarem a escrever uma página diferente. Mais do que ganhar, a equipa quer reencontrar o caminho da estabilidade, para que o lado emocional ajude na hora de tentar sentar na outra cadeira, a fase de grupos da Champions.
À deslocação ao reduto maquisarde é de alto risco e os atletas sabem que estão sem margem de erro. Os adeptos têm motivos para queixarem-se do técnico Zoran Maki, mas nem por isso, quem está em campo deve relaxar ou concluir, de maneira errada, porque está encontrado o culpado. 
O 1º de Agosto, às vezes, costuma renascer no Mundunduleno na hora certa. Os campeões são talhados para os grandes momentos, daí que a nação rubro-negra anseia ver a equipa a recuperar o doce passado. Nenhuma malapata dura o campeonato inteiro e, é com esse pensamento único que os militares vão tentar esquecer o que ainda não fizeram na segunda volta, para que a eficácia que tem faltado apareça contra os maquisardes.
A campanha da equipa do Moxico, no Girabola ZAP 2018, está a deixar muito a desejar. O plantel foi reforçado em quantidade e qualidade, porém, a sorte da equipa demora a mudar. Capacidade para derrotar o adversário é o que os maquisardes têm de sobra e o perfil ideal dos atletas de Zeca Amaral reúne consenso, mas os maus resultados estão a tirar brilho a boa folha de serviço do treinador e jogadores.
Os anfitriões também estão atrás da mudança competitiva. O jogo com o campeão tem todos os ingredientes, para mostrarem todos os seus argumentos competitivos.
Embora o jogo ainda não tenha começado, o Maquis sabe que o 1º de Agosto vai ser generoso demais e vai conceder  espaço para jogar, mas nada melhor do que esperar pelo apito final para ver como o jogo correu.