Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Campeo pressiona 1 de Agosto

Jorge Neto - 25 de Julho, 2016

Libolo conseguiu fazer a reviravolta no resultado

Fotografia: Jos Cola

Apesar de terem marcado primeiro a equipa do Interclube não assustou os campeões nacionais em título, que em seis minutos resolveram o desafio com dois golos, garantindo à vitória, encurtando a diferença para um ponto em relação ao líder 1º de Agosto.

Os libolenses entraram melhor no desafio, a carregar o último reduto adversário, que mostrou-se bastante seguro e capaz de impedir que a visassem a baliza de Jotabé.
Tal como se previa, o jogo de destaque da jornada não defraudou quem esteve presente no estádio de Calulo ou mesmo a assistir pela televisão, uma vez que os dois conjuntos nunca deixaram o adversário tomar conta da partida por muito tempo.

A jogar em casa e pressionado em função do empate do 1º de Agosto na véspera os pupilos de João Paulo Costa, começaram a acusar a forte necessidade de ganhar o jogo e caíram na ansiedade. As jogadas tinham uma boa construção, mas faltou a finalização, ou seja, o último toque.

Nisso, foram os forasteiros que ganharam confiança, acreditaram e foram subindo no terreno, procurando criando problemas ao último reduto dos libolenses. Depois de falharem algumas oportunidades, marcaram aos 41´, por Das Faa, que finalizou com êxito uma assistência de Paty, isolando-o diante de Landu. Neste lance o guarda-redes do Libolo podia ter feito algo mais, pois o avançado do Interclube rematou para o poste mais próximo do guarda-redes.

O conjunto dos polícias jogava com bastante segurança e ciente do que estava a fazer em campo, dando uma clara demonstração que foi a Calulo, com a lição bem estudada num terreno, onde habitualmente não conseguia bons resultados.

No reatamento, João Paulo Costa não perdeu tempo e mexeu na sua equipa, lançando o congolês Kaya para o lugar de Ito. A intenção foi de refrescar o meio-campo ofensivo e surtiu o efeito desejado, pois o empate surgiu aos 54´, numa recarga de Jaime, após remate de livre directo de Nandinho, onde o guarda-redes Jotabé, esteve mal no lance ao deixar escapar a bola das mãos.

Os polícias ainda não tinha se refeito da igualdade e os libolenses trataram de adiantar-se no marcador, Erivaldo  isolado tirou a contar, com largas culpas para o guarda-redes Jotabé, que ofereceu um "frango".

 Com isso, a formação orientada por Zdravko Logarusic teve de correr atrás do prejuízo , esgotou as três substituições com jogadores de características ofensivas, procurando voltar a equilibrar as acções do jogo, que haviam cedido a equipa da casa.

Porém, apesar dos esforços a equipa da capital do país não foi capaz de igualar o desafio, pois a defesa do Recreativo do Libolo se manteve intransponível e por vezes, usou a queima de tempo para carimbar os três pontos.

ARBITRAGEM

Bom trabalho em Calulo

O trabalho do árbitro Inácio Rangel não sofre nenhuma contestação. O juiz da província da Huíla soube estar a altura das encomendas e esteve ausente de lances polémicos. Acompanhou de perto as jogadas e com um ou outro erro não teve influência no resultado final.
Os jogadores contribuíram com o "fair play",pois, fizeram poucas faltas merecedoras de cartão amarelo, daí que Inácio Rangel tenha mostrado apenas um no primeiro tempo e os restantes na segunda metade, algumas vezes pelo facto dos jogadores libolenses utilizarem a queima de tempo. Os seus assistentes também acertaram nos lances de fora-de-jogo, tendo poucos erros neste aspecto.

MELHOR EM CAMPO

Erivaldo desequilibrou

O médio ofensivo do Recreativo do Libolo, Erivaldo, destacou-se no desafio, pela forte presença que teve ao causar grandes "dores de cabeça" aos defesas do Interclube, que tiveram uma tarde de muito trabalho.  A par das movimentações ofensivas, onde abriu espaços na defesa dos polícias, quer com passes para os seus colegas, quer por jogadas individuais, ainda foi coroado com o golo decisivo aos 60´, batendo o guarda-redes Jotabé, com alguma felicidade.