Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Candidatos buscam vitria

Pedro Augusto - 06 de Maio, 2016

Benfiquistas e palanquinos almejam regressar s vitrias no Campeonato Nacional

Fotografia: Jos Soares

O voto de confiança dado à equipa técnica liderada por Miller Gomes e a vontade da águia em regressar ao pódio vai dominar o jogo desta noite, a partir das 18h00, no estádio 11 de Novembro, na Camama, entre o Benfica de Luanda e o Kabuscorp do Palanca, na abertura da 11ª jornada do Girabola Zap 2016.

O desafio entre águias e palanquinos vai servir para medir a pulsação nos dois conjuntos, depois dos resultados negativos na semana passada, em que o Benfica de Luanda perdeu com o 1º de Maio de Benguela (2-1) e o Kabuscorp do Palanca ante o Petro de Luanda (1-0).

As águias que jogam na condição de visitados, pretendem não apenas vencer o jogo, como desalojar o campeão Libolo da terceira posição da tabela de classificação, perdida na ronda passada, e esperar que os libolenses não saiam vitoriosos no duelo com o "irmão" da Caála.

Uma pretensão difícil, mas não impossível, pois a equipa de Zeca Amaral, depois do arranque moribundo, tem dado mostra de alto nível competitivo no campeonato.

Por isso, calculamos, o Benfica vai fazer do jogo desta noite, no estádio 11 de Novembro, o trampolim para o regresso ao período de graça.

A prontidão dos médios Manuel e Savané, bem como do guarda-redes Fernando, que se encontravam lesionados, representa um grande reforço para o plantel encarnado na ambição de tentar "bicar" o campeão nacional de 2013.

A ambição do Benfica de Luanda é também a do Kabuscorp do Palanca. Melhor, separados na tabela de classificação por três pontos (18-15), vantagem da águia, os palanquinos sabem que só uma vitória os poderá colocar próximo do pódio.

A sétima posição que o Kabuscorp ocupa no campeonato, não obstante o voto de confiança dado pelo direcção do clube ao treinador Miller Gomes, representa insegurança para aquilo que são os objectivos da equipa na competição.

Ou seja, a formação do Palancas está distante dos principais candidatos ao título, principalmente o 1º de Agosto (24 pontos e menos um jogo), Petro de Luanda (20) e Recreativo do Libolo (19). Dados suficientes que hoje à noite, no 11 de Novembro, tenhamos luta rija no jogo que abre à 11º jornada do Campeonato Nacional.


KABUSCORP
“Equipa quer um
resultado positivo”


Já sem o técnico Miller Gomes no comando, a formação do Palanca almeja um resutado positivo esta noite.

O Kabuscorp não  está a realizar uma primeira volta dentro dos objectivos preconizados para esta época futebolística. Os 15 pontos amealhados espelham bem  as dificuldades por que passa o grémio do Palanca. Em função disso,a equipa técnica promete  inverter o mau momento do grupo, quando defrontar hoje às 18h00, no Estádio 11 de Novembro, o Benfica de Luanda, em jogo de abertura da 11ª jornada do Girabola Zap 2016.

Antes do anúncio da sua demissão, o então treinador  da equipa do Palanca referiu que não existem jogos fáceis e acredita que o de desta noite, diante dos benfiquistas, não foge à regra.

"Todos os jogos são difíceis, foi assim com o ASA, com o Interclube, Petro de Luanda e outras equipas, por isso acredito que assim será. Temos trabalhado bastante para enfrentá-los bem e este não foge à regra. Vamos procurar abordá-lo da melhor maneira de forma a sairmos do relvado com um resultado positivo", disse, reflectindo o sentimo da equipa técnica que assume hoje o banco do conjunto do Palanca.

Contratado para voltar a colocar o conjunto do Palanca na rota dos títulos, o técnico sai sem lograr esse objectivo e deixa a equipa longe das três primeiras posições, em sétimo lugar, com apenas quatro vitórias e três empates, o que dá um somatório de 15 pontos na setima posição.

O Kabuscorp pode apresentar o seguinte "onze" inicial no jogo desta tarde: Mário; Mussumari, Bobó , Mingo Sanda e Loló; Mano, Magola, Nary e Lami; Meda e Chole.
MANUEL NETO


BENFICA DE LUANDA
Médio Savané espreita titularidade


O regresso aos convocados dos médios Manuel e Savané são as grandes novidades no Benfica de Luanda, tendo em vista o jogo desta noite, a partir das 18h00, no estádio 11 de Novembro, diante do Kabuscorp do Palanca, referente à 11ª jornada do Girabola Zap. Depois de desfalcarem as águias na deslocação efectuada a Benguela, na jornada anterior, em que a equipa defrontou e perdeu frente ao 1º de Maio, os jogadores voltam a estar disponíveis para as opções de Zeca Amaral.

A provar a total recuperação de Manuel e Savané das mazelas que os apoquentava na semana passada está o facto de os mesmos terem trabalhado sem limitações durante as sessões realizadas na véspera deste desafio.

De acordo ao que o treinador deixou transparecer nos ensaios da equipa titular para o confronto com o Kabuscorp, é provável que Savané regresse aos titulares. O médio pode render Nelson na função de principal "playmaker" do sector intermédio dos encarnados da capital. Zeca Amaral pode efectuar duas ou três mexidas ao "onze" que defrontou o 1º de Maio de Benguela na jornada passada. Ou seja, a recuperação de alguns jogadores anteriormente indisponíveis e a fraca prestação de outros no jogo passado, deve obrigar o treinador a fazer alterações na equipa titular.  Na baliza, Hélber pode permanecer intocável. O guarda-redes deve contar com o apoio de um quarteto defensivo composto por Edgar Hebo, Jefferson, Valdemar e Hélio Roque. Já no meio-campo jogam, seguramente,  Amido Baldé, Amândio, Sidney e Savané, ao passo que no ataque Vado e Makaya podem ser os titulares.
PAULO CACULO


ZECA AMARAL
“Vamos jogar contra um candidato”


O treinador do Benfica de Luanda, Zeca Amaral, afirmou ontem estar à espera de um jogo muito difícil, sobretudo pelo facto do adversário (Kabuscorp) ser um candidato ao título, ter muitas boas individualidades e reunir a claque de adeptos mais ruidosa que se conhece no campeonato.

"Vai ser um jogo muito difícil, na medida em que vamos jogar contra um candidato ao título.

Vamos defrontar uma equipa com boas individualidades, muito organizada em campo e que tem uma massa adepta que puxa muito pela equipa e que pode fazer toda a diferença no jogo, comparativamente a nós, que não temos adeptos, nem esse tipo de apoio nas bancadas", disse.

Perante todos os factores que enumerou do adversário,  Amaral acredita que "as dificuldade serão acrescidas", pois obrigará da sua equipa inúmeros esforços, mas sobretudo uma exibição de grande nível, caso queira conquistar os três pontos em discussão na jornada.

"A derrota com o 1º de Maio já foi ultrapassada. Aliás, logo após o apito final do árbitro, em Benguela, começámos imediatamente a pensar e a trabalhar para o jogo com o Kabuscorp. Enaltecemos o regresso de três jogadores e esperamos bem que até à hora do jogo consigamos ter todos disponíveis, porque não tem estado a acontecer nas últimas vezes", acrescentou Zeca Amaral, que fez questão de afirmar ainda que o moral do grupo e motivação estão em alta.

"É motivante jogar contra o Kabuscorp e, como tal, acreditamos que podemos fazer um bom jogo e um bom resultado", disse.
PC