Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Candidatos em aco

Betumeleano Fero - 24 de Fevereiro, 2018

Interclube e Sagrada o desafio de destaque na terceira jornada

Fotografia: Jornal dos Desportos

A questão do título faz parte do quotidiano do Petro de Luanda, do Recreativo do Libolo e do Interclube. É por isso, que essa tarde, o trio de candidatos tem de puxar dos galões para juntar acções positivas à sua ambição máxima no campeonato: terminar em primeiro.
O jogo  Petro de Luanda - 1º de Maio de Benguela, deixou faz tempo, de ser cartaz do Girabola, mas a história mantém o interesse e a rivalidade entre os dois contendores. Os tricolores são de longe favoritos, estão competitivos no início de época, a veia goleadora manda recados sérios aos adversários, motivo por que os proletários têm de diminuir a margem de erro, para evitar ser o saco de pancadas da equipa de Bianchi.
A chance dos três pontos ficarem em Luanda, reúne consenso, quando a bola rolar a partir das 17h30, e o foco situar-se no desempenho tricolor. Ninguém, está à espera de ver um jogo unidireccional, porém, é quase uma certeza de que os proletários não tenham pernas para uma disputa igual, o que de modo algum significa que o 1º de Maio não possa empatar no Estádio 11 de Novembro.
Antes da bola rolar, no 11 de Novembro, o 22 de Junho é capaz de entrar em ebulição às 15h30 quando se iniciar o Interclube - Sagrada Esperança, pois, é um jogo em que tudo de bom pode acontecer, as duas equipas têm boa dinâmica e prometem sempre muito.
As duas equipas são orientadas por treinadores estrangeiros, com discursos sempre carregados de optimismo. Pois então que venha o jogo, para que os seus atletas demonstrem em campo, que são feitos à imagem e semelhança de quem os treina.
O valor competitivo dos contendores chega e basta para proporcionar um bom espectáculo, quem vencer  que não seja por números gordos, vai acabar por reunir consenso, mas também é verdade que um empate é capaz de ser bem aceite pelas equipas, pois, são equivalentes.
O Recreativo do Libolo tropeçou na ronda passada, agora, os libolenses têm de reagir de imediato no jogo com a Académica do Lobito, um adversário acessível, mas complicado, para quem tenha de vencer o mais rápido possível, para evitar atrasar-se na paragem do comboio do título.
As saídas de jogadores influentes tiraram força competitiva ao Libolo, mas como a história não se apaga de uma época para outra, muito menos com a perda de valorosos atletas, a equipa de casa vai ao Estádio para a partir das 15h00 fazer os serviços mínimos para impedir que os estudantes saiam do jogo com boa nota.
Os estudantes estão cientes das dificuldades, jogar e pontuar extramuros, além do adversário há ainda a questão do clima, o ar rarefeito faz sempre mossa a quem esteja acostumado ao calor do litoral. Ainda assim, a Académica atenta à oportunidade de molhar a sopa diante de um candidato ao título, o que a acontecer dá mais força para lutar pelo objectivo da manutenção.
À mesma hora que começar o jogo em Calulo, o Kabuscorp entra em cena nos Kuricutelas, ante o indesejável JGM. Os palanquinos têm o melhor em tudo, mas a equipa da casa tem a irreverência e a capacidade de surpreender, coisas que o Kabuscorp vai ter de estar muito atento, para evitar deixar mais pontos no Huambo, como sucedeu na derrota de estreia diante do Caála.
Os palanquinos sabem que têm de esticar o jogo, não podem ficar na expectativa, porque isso é o que vai fazer o adversário. Pegar na batuta é  uma obrigação para o Kabuscorp, ainda assim, vai ser necessário que a equipa de Luanda acabe com a história da manta curta, é mesmo verdade que se destapar um pouco, o JGM é capaz de aproveitar-se e fazer sensação no Girabola Zap.