Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Capito do 1 de Agosto ainda acredita no 2 lugar

Betumeleano Ferro - 04 de Outubro, 2009

Capito do 1 de Agosto Z Augusto

O empate da jornada passada com o Desportivo da Huíla deixou por um fio a esperança do 1º de Agosto de ainda lutar pela vice-liderança do Girabola, na posse do Benfica de Luanda. Assim, o capitão Zé Augusto está coberto de razão ao afirmar que a sorte final dos militares no campeonato poderá se decidir na partida com o Santos FC.
A três rondas do corte de meta, os militares têm dois pontos de desvantagem sobre as águias com quem jogam na próxima jornada. Em face disso, os rubro-negros são forçados a vencer os santistas, segunda-feira, senão a esperança do segundo lugar poderá dar lugar à frustração da expectativa adiada.
 "Nem o empate nem a derrota nos servirão para alguma coisa se o Benfica de Luanda vencer ao Académica do Lobito, porque haverá entre nós uma distância de quatro ou cinco pontos. Mas não é isso o que nós queremos, porque na próxima jornada, 25ª, iremos defrontar o Benfica”, argumentou Zé Augusto.
Os santistas gastaram todos os truques na Taça da Confederação, e agora estão com dificuldades de repetir em casa os milagres que os celebrizaram nas Afrotaças, como parece evidenciar a má campanha no Girabola. Deste modo, o 1º de Agosto está convencido que o Santos FC vai fazer pela vida para provar que a sua má classificação deslustra o seu real valor. “Teremos de nos empenhar ao máximo para sairmos do campo com os três pontos”, admitiu o capitão.

INQUIETAÇÃO

Se a obrigação de vencer já é suficiente para diminuir a margem de manobra dos militares, o mortífero contra-ataque santista também é uma das grandes inquietações do plantel rubro-negro. "O nosso adversário é muito forte a desferir contra-golpes, mas vamos fazer os possíveis de anular este perigoso triunfo do Santos”, enfatizou Zé Augusto.
De modo similar, o médio militar acredita que se a sua equipa conseguir marcar primeiro, então vai forçar o oponente a abrir mão da sua arma mortífera. "Se eles estiverem a perder vão obrigados a abrir para tentar chegar ao empate, mas se sofrermos primeiro as coisas se tornarão mais difíceis para nós", reafirmou o capitão.

Direcção do Benfica
ganha crença no título


A presidente do Benfica de Luanda, Tchizé dos Santos, acredita que a equipa que dirige pode ainda sagrar-se campeão do Girabola 2009. A líder da direcção encarnada, que manifestou tal optimismo durante uma entrevista ao programa "Hora Quente" do Canal 2 da Televisão Pública de Angola (TPA), não escondeu a satisfação pela segunda posição que a equipa ocupa na tabela classificativa, com 44 pontos, menos sete que o líder Petro de Luanda.
"Ainda podemos ser campeões", atirou, radiante, a presidente de direcção dos benfiquistas, para em seguida acrescentar que embora a conquista do título não constitua um objectivo do Benfica, para esta época, "se conquistarmos o título será muito bom". Mas para tal, a líder das águias da capital sabe que terão de vencer os últimos três jogos e esperar que o Petro perca dois e empate um.
Para Tchizé dos Santos, os últimos deslizes espelhados pelo Petro de Luanda no campeonato têm ajudado a equipa a ganhar confiança. A distância que os separa da liderança, sublinha ela, ficou mais curta, depois da derrota dos tricolores diante do Recreativo do Libolo.
"Queremos pensar no título apenas na próxima época. O grande objectivo desta direcção é trabalhar para criar infra-estruturas. Penso ser este o grande problema da maioria dos clubes do Girabola. Queremos ter a nossa própria infra-estrutura, para deixar de disputar campos com outras equipas para treinarmos", assegurou a presidente dos encarnados da capital, deixando expresso a sua disponibilidade para continuar a trabalhar em prol do clube.
“Estarei sempre disponível para dar o meu empenho, o meu melhor. Estamos todos imbuídos do mesmo espírito e dos mesmos objectivos”, enfatizou ela.
Quem alinha no mesmo diapasão é João Montês, director para o futebol dos benfiquistas. O dirigente dos encarnados garante que o jogo com a Académica do Lobito, domingo, representa para a equipa de “importância capital” tendo em vista o asseguramento do segundo lugar. "Será fundamental vencermos este jogo, para fazermos as contas finais. Acreditamos na vitória, mas sabemos que será um jogo muito complicado", referiu.            Paulo Caculo


Recreativo da Caála
quer pontuar em Calulo

O Clube Recreativo da Caála quer pontuar hoje, sábado, no desafio diante do Recreativo do Libolo, em Calulo, na partida referente à 24ª jornada do Girabola. Depois da derrota em Luanda, diante do Interclube, por 1-4, os pupilos de João Kodia  “Patrick” querem garantir o ponto que confirmará a permanência do escalão máximo do futebol nacional.
Desde ontem na Vila de Calulo, os azuis e branco do município satélite da Caála estão optimistas num resultado que lhes permitirá concluir as restantes jornada com tranquilidade.
“Temos consciência que será um jogo  muito difícil, já que o nosso adversário luta por um lugar nas Afrotaças. Nós trabalhamos com muito afinco para podermos pontuar fora. A derrota diante do Interclube é coisa do passado”disse o técnico da Caála.
Assim, como o Recreativo do Libolo venceu no Huambo na primeira volta, por dois zero, o técnico da Caála acredita que também pode fazer a mesma façanha na casa do adversário.     
Para o técnico da Caála, todos os adversários são difíceis, mas o objectivo é chegar aos 30 pontos e, se for antes das duas últimas jornadas, melhor.
“Temos o próximo jogo em casa diante do Kabuscorp do Palanca que nessa altura está nas mesmas condições que nós, lutar para não descer de divisão. O nosso último jogo é fora de casa diante do ASA. Se conseguirmos pontuar agora será bom para encararmos este jogo sem muita pressão”, disse.
João Constantino, no Huambo