Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Castigo de Moreira termina em Agosto

25 de Junho, 2018

Juiz do Conselho Provincial de Luanda no esteve bem no drbi da 16 jornada do campeonato

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

O árbitro Bernardo Moreira, que ajuizou o polémico jogo entre as equipas do Progresso Sambizanga e do1º de Agosto, disputado no dia 11 do corrente, estádio dos Coqueiros, referente à 16ª jornada do Girabola Zap 2018, cujo resultado terminou empatado a uma bola, apenas regressa aos campos em finais de Agosto próximo, pelo facto de ter sido castigado por 75 dias pelo Conselho Central de Árbitros de Futebol de Angola (CCAFAF), com efeitos a partir da mesma ronda.  
Bernardo Moreira, segundo o Comunicado Oficial nº 025/SG/18, do dia 21 do corrente, na qualidade de chefe da equipa de arbitragem, foi responsabilizado com mau desempenho no exercício das suas funções, acabando por ter influência no resultado final do jogo.“Considerando os árbitros como chefes de equipa, não tendo havido influência conhecida ou interferência dos árbitros assistentes, no trabalho menos conseguido dos seus chefes, levou-nos a ´castigar´ apenas os árbitros", lê-se no comunicado da FAF.  
Deste modo, a sanção aplicada ao árbitro Bernardo Moreira, contando da data da suspensão, 11 do corrente, termina no próximo dia 26 de Agosto. A partir daí, o jovem juiz, que ascendeu à primeira categoria nacional no ano passado, época em que realizou um bom trabalho, estará disponível para regressar aos relvados. O conselho presido por Jorge Mário Fernandes, segundo o mesmo comunicado, castigou ainda pela mesma razão os árbitros Carlos Armando da Silva, da província de Cabinda, com 60 dias, a contar desde a 5ª jornada, devido o trabalho desenvolvido no jogo Domant do Bula Atumba - FC Bravos do Maquis (1-0); Miguel Julião Mateus, do Conselho Provincial de Luanda, com 45 dias, a contar desde a 16ª jornada, devido o jogo FC Bravos do Maquis - Progresso Sambizanga (3-2), a contar para a 10ª jornada; Tânia Duarte Mariza, da Huíla, por 60 dias, a contar desde a 11ª jornada, devido ao trabalho efectuado no jogo 1º de Maio de Benguela - FC Bravos do Maquis (1-0) e José Álvaro Clemente Chitumba, também da Huíla, com 60 dias, devido ao mau desempenho no jogo Sagrada Esperança - Petro de Luanda (1-0).
A decisão do CCAFA surge depois de a direcção do Clube Desportivo 1º de Agosto, ter escrito uma carta ao Conselho Central de Árbitros da Federação Angolana de Futebol (CCAFAF) e publicada no seu site, em que protestou o trabalho efectuado pela equipa de arbitragem do jogo com o Progresso Sambizanga.
Apontou como motivo principal ajuizamentos incorrectos e sucessivas falhas, algumas passíveis de marcação de grande penalidade, bem como a apelação por maior rigor, relativamente ao cumprimento escrupuloso das regras de jogo, postura isenta e imparcial, de modo a dignificar o futebol nacional.