Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Cocacola ganha espao na defesa do Kabuscorp

Manuel Neto - 02 de Junho, 2016

Nmero 24 do Kabuscorp est preocupado com a falta de ateno de alguns clubes nos escales de formao

Fotografia: Jos Soares

O lateral Faustino Gonçalves do Kabuscorp do Palanca, também conhecido  por Cocacola, por ter levado aos treinos uma camisola com a insígnia desta multinacional,  reconhece que está em franca progressão na equipa,  devido à sua boa qualidade de jogo no sector direito.

Em 2013, foi promovido para o escalão sénior , mas disse ao Jornal dos Desportos, que na altura a sua afirmação no grupo não era fácil, porque o plantel possuía muita qualidade  de jogadores. "No grupo pontificavam atletas de  boa qualidade técnica, como Dax, Hernâni, Libengue, Saki Amisi, Lunguinha, kibeixa  Adawa , Biscote, só para citar estes. Mas ainda assim,  acreditei que  a minha vez estava a  chegar",disse, e adiantou que com paciência e  trabalho aos poucos ganhou espaço, graças ao apoio da equipa técnica ,  direcção e colegas.

"O grupo deu-me uma grande força, na altura era  mais jovem, mas já me  impunha  com algum rigor ao longo do trabalho e nos jogos. Esta  coragem , aliado à minha  força  pelo trabalho,  facilitou  muito a minha integração no grupo e nos dias de hoje ganho mais maturidade". disse.

Cocacola  reconhece que  ainda falta muita coisa a aprender nesta sua ainda curta carreira. "Estou a começar, sei alguma coisa, mas reconheço que ainda não ganhei nada  para me envaidecer.

Um atleta que se orgulha deve deixar de lado as vaidades e  vícios, sob pena de se ver prejudicado na sua careira", aconselhou.
"Vou continuar a lutar , aproveitar a margem de progressão que tenho pela frente, sei que nada  é difícil quando temos força de vontade e crença naquilo que fazemos",prometeu.
O lateral sublinhou que continua a trabalhar duro e com muita humildade, ouve  conselhos de pessoas  experimentadas.

"A humildade  e o trabalho são grandes virtudes, sobretudo, para quem está a iniciar uma carreira. Estou ciente que  devo caminhar  nesta senda para que o meu futuro desportivo seja risonho", reconheceu.

"Gosto do futebol é o que tenho estado a viver, e o apoio que recebo, não tive outra saída que não fosse convidar também o meu irmão para  seguir o mesmo caminho e graças a Deus  está a sair-se bem na formação do clube",disse o jovem regozijado pelo apoio moral que recebe dos seus, razão que levou a  puxar  pelo seu irmão menor.

AUTO - ESTIMA
"O que possuo  hoje alcancei com trabalho"


O lateral palanquino apelou à maior atenção das camadas jovens, porque a seu ver, é nesta etapa que se trabalham as componentes  técnicas e tácticas.
"Tudo começa da base, por isso,  quando não se tem um trabalho de base  bem feito,   não se consegue nas etapas subsequentes. Falo isso com propriedade, porque  a qualidade básica  que e possuo  hoje,  alcancei com trabalho árduo  na fase de formação, embora reconheça que preciso ainda de limar algumas arestas,  mas  não tanto", defendeu.

Faustino iniciou a sua  formação  na equipa do Futebol Clube de Luanda e completou-a no Kabuscorp,  advoga  que na altura as condições de trabalho eram razoáveis, mas afirma conhecer muitos casos débeis em termos  de formação, com realce para  falta de condições  de treinos  nos campos  de futebol e  até mesmo sem um  mínimo de alimento.

"Guardo isso, com certa magoa, porque noto que  esta falta reflecte-se  constantemente na etapa de sénior,  vejo  que nesta fase existem jogadores que ainda se debatem com problemas elementares graves,  como a  recepção, passe e até mesmo os falhanços clamorosos ante a baliza escancarada e que em certa medita se redunda  em prejuízo da equipa", disse.

"Apelo às pessoas de direito no sentido de atacarem o mal de que enferma o nosso futebol sem  esquecer a formação constante  dos profissionais da formação", solicitou o defesa.  

OPORTUNIDADE
Jogador defende
criação de reservas


Cocacola lamenta  a pouca oportunidade que os atletas promovidos a seniores têm, quer nas suas equipas onde se formam, ou noutra,  em que ingressem.
"É triste, depois de termos abraçado uma carreira, que por vezes nos forçou adiar outras na vida, e depois de termos atingido a fase de sénior  sermos preteridos por outros, que tal vez não são da nossa praça e nem têm  as melhores qualidades que nós, isso é uma contaste, que a meu ver só acaba por prejudicar o tecido desportivo nacional",disse.

Por este motivo , o defesa pede às autoridades ligadas ao desporto e ao futebol em particular  para  encontrarem uma solução para o efeito,  cita mesmo que uma das soluções "passa pelos clubes, criar políticas para o surgimento de equipas de  reservas que disputem campeonatos ou outras provas de forma a valorizarem ou aproveitarem  da melhor maneira a franja promovida".

Faustino já fez parte de uma das selecções de Sub-20,  promete trabalhar cada vez mais para representar a selecção principal, os Palancas Negras.
 "Já estou numa grande equipa e agora  se for para mudar, preferia mesmo no exterior, com realce para o Sporting de Portugal, equipa com boa escola, ou o Benfica de Portugal",disse o atleta, que à uma questão colocada, disse não ser seu sonho estar ao serviço do Petro  de Luanda ou  do 1º de Agosto.