Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Corola lima arestas para o drby

Augusto Panzo - 26 de Maio, 2016

Nigeriano Ibukun recupera da leso

Fotografia: M. Machangongo

A equipa do Atlético Sport Aviação (ASA) pretende limar as arestas hoje a partir das 11h00, no Estádio dos Coqueiros, no treino de preparação com vista a efectuar as correcções que se impõem para o tradicional dérby do Girabola, que se disputa amanhã às 18h00, em que tem como adversário o 1º de Agosto, na  partida referente à 14ª jornada do Girabola Zap de 2016.

"Trabalhámos ao longo destes três dias para melhorar no que falhámos no jogo com o Benfica de Luanda. Amanhã é  véspera do jogo, então precisamos de limar as arestas, de maneira a corrigir os detalhes antes do embate com  o actual líder incontestável do campeonato neste momento", começou por recordar o treinador interino do ASA. 

Para já, o jogo em si apresenta-se difícil para os dois conjuntos, mas com maior relevância para o ASA que o encara como uma espinha atravessada na garganta, a julgar pelo actual perfil da formação do ex - RI 20, que não quer perder o comando da prova.

"Este é mais um jogo muito complicado, no leque dos clássicos que estamos a enfrentar. Sabe que desde o início do Girabola, os jogos que envolvem o ASA e o 1º de Agosto são sempre de resultados imprevisíveis, apesar do actual contexto. Nós estamos a lutar para sair da posição incómoda em que nos encontramos, enquanto que o adversário é o líder incontestável", disse o treinador interino.

Contudo, a formação aviadora está a atravessar uma fase de ascensão que começou na 12ª jornada em que empatou a zero golo com o Petro de Luanda, somado ao triunfo diante do Benfica de Luanda, conseguido na ronda seguinte.

"O nosso objectivo passa necessariamente em sair do lugar em que nos encontramos. Estivemos numa fase muito complicada, em que durante sete jogos consecutivos, não conseguíamos nem um ponto sequer. Estamos agora a viver uma etapa que promete muito, principalmente, depois dos resultados que conseguimos nas últimas duas jornadas", disse. 

A rivalidade entre a formação do ASA, que na fase pós -independência teve a designação de Grupo Desportivo da Taag, e o clube militar do 1º de Agosto, remonta do longínquo ano de 1979, altura em que foi disputado o primeiro Girabola em que as duas equipas eram tidas como as principais favoritas, ao lado do Nacional de Benguela, que naquele ano  tornou-se vice -campeão.

SISTEMA
Técnico ensaia estratagemas

O treinador interino do ASA, José de Carvalho "Corola," está a introduzir vários estratagemas no seu plantel com algumas alterações de posição de alguns jogadores, que por norma ocupavam determinadas posição na era do brasileiro Roberto do Carmo "Robertinho".

O exemplo vivo disso é a utilização de Gaca, na posição de médio -ala direito, ao invés de lateral esquerdo como actuava no período de Robertinho, o que recoloca o jogador na  verdadeira posição, apesar do futebol moderno não se compadecer  com este tipo de actuações.

Com essa alteração, o moçambicano Miro pode ser a "arma mais forte" do lado esquerdo, pela dinâmica e experiência que este atleta carrega na posição, onde actuou durante muito tempo, aquando da sua passagem pelo FC Bravos do Maquis, sem menosprezo pelo jovem Júnior, que também deu mostras do seu saber nesse lugar.

De recordar que o ASA tem uma das defesas mais batidas, com 17 golos, atrás do Estrela Clube 1º de Maio que tem 23 golos sofridos, facto que exige uma correcção urgente na actuação desse sector, para que a situação não se agudize mais.
AP

DISPONIBILIDADE
Fofó apto para as encomendas

jogadores muitos activos do clube do aeroporto, está já apto para as opções do técnico, depois de dado como apto  pelo corpo clínico da equipa aviadora.  A garantia foi ontem dada ao Jornal dos Desportos, pelo fisioterapeuta da equipa Nzinga António Toko que assegurou a sua utilização no jogo com o 1º de Agosto, depende apenas do treinador.

"Até ao último jogo que disputámos, a única baixa de vulto que tínhamos era o Fofó. Graças a Deus, ele já está recuperado e a sua utilização  depende do treinador, por um lado, e do próprio jogador, por outro. Digo isso, porque muitas das vezes o departamento clínico considera o jogador apto para determinados desafios, mas por razões de responsabilidade de certos jogos  evita esforçar", disse Nzinga Toko.  

Lançado como uma grande aposta do antigo treinador Samy Matias, antigo treinador da equipa em 2014, Fofó também foi "arma" do brasileiro Robertinho no ataque do ASA, facto que o coloca numa preferência pelo  actual técnico interino José de Carvalho "Corola".

Fofó faz parte de um grupo de três irmãos da família Cabungula que se encontra no activo no futebol angolano, liderado pelo antigo ponta -de -lança Arsénio, vulgo Love Cabungula, integra ainda Feião, que actua no Progresso da Lunda Sul.
AP