Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Crise preocupa membros dos clubes

Jlio Gaiano, em Benguela - 02 de Agosto, 2016

Acadmica do Lobito ocupa a ltima posio da tabela de classificao

Fotografia: Jos Soares

A crise financeira reinante no Estrela Clube 1º de Maio e na Académica do Lobito, dois emblemas benguelenses que competem no Girabola Zap 2016, pode agravar-se nos próximos tempos. O facto foi revelado ao Jornal dos Desportos por alguns membros de direcção das referidas agremiações desportivas. 

Os membros que falaram ao nosso jornal, asseguram que apesar da situação ser assustadora, descartam a possibilidade de desistirem do Campeonato Nacional.

Contudo, apesar de honrarem parte dos compromissos financeiros (não há salários atrasados da presente temporada), as direcções têm experimentado dificuldades de amortizar as dívidas resultantes dos contratos firmados com alguns atletas e técnicos. O facto está a atrapalhar as grandes iniciativas dos dirigentes dos dois clubes, tendentes a atenuar a situação daí reinante.

O facto de os referidos clubes continuarem a manter a sua sobrevivência dependente de terceiros atrapalha ainda mais todo um processo que, no fundo acabou por relegar a acção dos associados ao plano secundário, próprio de um afigurado amadorismo efectivo e afectivo.

Diante desta realidade, receia-se que o pior aconteça, tanto mais que com a falta de iniciativas, sobretudo na Académica do Lobito, em que o suporte financeiro está fortemente concentrado numa única pessoa (o presidente do clube), ensombra o futuro de um projecto que se augurava ambiciosa à luz do programa arquitectado para o mandato que termina em 2020.

Nos últimos tempos e pelas conversas que se apuram do empresário Luís Gonçalo Borges dão fortes indicações de que a crise financeira já começa a fazer mossa na gestão do clube.
O cansaço é visível e não tarda que, nos próximos tempos, o soar da trombeta se fará ouvir a partir do Buraco, para o alarido de muito boa gente amante do futebol no país, em geral, e na província e município, em particular.


COMPETITIVIDADE
Equipas com fraca prestação


A situação das equipas benguelenses no Girabola Zap é descrita de preocupante, a julgar pelos objectivos preconizados pelas respectivas direcções. Com inúmeras dificuldades, tanto o 1º de Maio (13º/19 pontos), como a Académica do Lobito (16º/16), não têm sabido cumprir com os seus propósitos na prova.

De jornada após jornada, proletários e estudante têm-se revelado fracos do ponto de vista competitivo, facto que as deixa na condição de fragilidade acentuada numa competição em que pretendem manter-se por muito tempo.

Não está a ser fácil a tarefa dos representantes da província de Benguela. A continuarem nesta senda, é ponto assente que o receio pela despromoção de divisão acentuar-se-á, com certeza de que, no próximo ano desportivo, a província venha a ser privado da maior festa da bola. Aliás, de outra forma não poderia acontecer, tanto mais que as evidências indiciam que em Benguela, as equipas desmobilizaram-se do seu real potencial futebolístico.

Tal se explica pela forma como pouco convincente como as equipas da Académica do Lobito e do 1º de Maio de Benguela competem no Girabola Zap. Para além de fracos competitivamente, revelam alguma falta de profissionalismo. As direcções, equipas técnicas e atletas sentem-se desapoiados.
 JG