Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Crticos da coisa desportiva almejam maior competitividade

Jorge Neto - 17 de Agosto, 2019

O 1 de Agosto ganha nas preferncias de quem sobre quem favorito conquista do ttulo. Pois, apesar da crise ainda assim h um bom nmero de equipas candidatas.

Fotografia: EDIES NOVEMBRO

Os profissionais da Comunicação Social, que vão acompanhar o Girabola Zap 2019/2020, esperam por um campeonato exemplar.  Entrevistados pelo Jornal dos Desportos, a generalidade dos jornalista é defensora de um campeonato com maior  competitividade. Alguns receiam que certas equipas, em função da limitação financeira, venham fracassar a meio da prova. Mas revelam optimismo para que tal não venha a aconetecer, para a salvaguarda da qualidade que se espera. O 1º de Agosto ganha nas preferências de quem sobre quem  é favorito à conquista do título.  Pois, apesar da crise ainda assim há um bom número de equipas candidatas.

ANTÓNIO DE BRITO (JORNAL DE ANGOLA)

\"Antevejo uma
disputa renhida\"

\"O 1º de Agosto e o Petro de Luanda são os crónicos candidatos à conquista do título e são as equipas com maiores probabilidades de conquistar o troféu, dado o investimento que têm feito nos respectivos plantéis. Eles entram em todas as competições para conquistar o troféu e esta edição não foge à regra. Nas últimas quatro épocas o título anda à volta destas equipas, com maior pendor para o 1º de Agosto, com quatro conquistas. Os militares não alteraram a estrutura da sua equipa, saíram e entraram três jogadores. O Petro reestruturou o seu plantel, está há uma década sem ganhar e este ano pretende conquistar o título. Antevejo uma disputa renhida no topo e na cauda da tabela, onde as equipas lutam pela manutenção\".   

DEDALDINO
DA CONCEIÇÃO (TPA)

\"Não haverá
muitas alterações\"


\"Penso que não haverá muitas alterações em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos sem conquistar o campeonato. Vamos ter aquelas equipas animadoras, o Sagrada Esperança reforçou-se com os jogadores do Kabuscorp e o técnico e teremos também o Interclube. A ausência do Kabuscorp veio sancionar uma falha administrativa antiga, na FAF e na FIFA, que na minha opinião o clube não respeitou. Faz falta ao campeonato, levava público ao estádio. Mas espero que o Kabuscorp regresse ao campeonato melhor organizado, de modos a continuar a emprestar à sua competitividade à prova\".

PASCOAL BERNARDO (ANGOP)

\"Condição financeira
será determinante\"      

\"Com a retirada do Kabuscorp do Palanca a luta pelo título fica reduzida ao 1º de Agosto e ao Petro de Luanda, depois ao Sagrada Esperança e o Interclube. No fundo da tabela disputarão o Ferroviário do Huambo e o Wiliete de Benguela, que vão lutar pela manutenção. A condição financeira será determinante para o desfecho do campeonato. Acredito que muitas equipas vão desistir. Tirando as equipas que são beneficiadas financeiramente, 1º de Agosto, Petro de Luanda, Interclube e Sagrada Esperança, as outras não sei como vão aguentar e isso até retira competitividade ao campeonato. Aliás, algumas já vão iniciar o campeonato com salários em atraso com os jogadores\".

MÁRIO JÚLIO AFONSO (TV ZIMBO)

\"Tenho receio de algumas equipas\"


\"Espero acompanhar um campeonato competitivo, com alternância constante na tabela de pontos, tanto no topo, como a meio, assim como na cauda, sem perder de vista a luta pelos goleadores. Mas confesso que receio que algumas equipas não consigam chegar ao fim da competição, devido a crise financeira que assola o país. Em termos competitivos, o 1º de Agosto pelo que tem feito é o principal candidato ao título. Este ano vai ter a concorrência mais apertada do Petro de Luanda, que me parece estar mais reforçado para atacar a primeira posição do campeonato. A meio da tabela devem figurar o Interclube, Caála, Académica do Lobito e talvez o Progresso\".

SEBASTIÃO FÉLIX
(JORNAL O PAÍS)

\"Kabuscorp faz
falta à prova\"


\"A competição começa com dois estreantes e os mesmos candidatos à conquista do título, 1º de Agosto e o Petro de Luanda. Os militares reforçaram-se e no meu ponto de vista são os candidatos mais fortes na corrida para o título. Por outro lado, temos o Petro, que também reforçou-se e quer acabar com a hegemonia do 1º de Agosto nestes últimos quatro anos. Temos também aquelas equipas do meio da tabela, Desportivo da Huíla, Interclube, e depois o Wiliete de Benguela, o Ferroviário do Huambo e o Santa Rita que lutam pela manutenção. Espero que a FAF e os clubes trabalhem no sentido de melhorar. A arbitragem, no meu ponto de vista, tem sido um dos males do campeonato. O Kabuscorp do Palanca é o grande ausente. É daquelas equipas que levava muito público aos estádios e faz muita falta ao campeonato\".