Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

D Agosto cimenta liderana

Jorge Neto - 18 de Março, 2019

Os campees nacionais foram os que mais criaram jogadas ofensivas

Fotografia: M. Machangngo | Edies Novembro

Uma cabeçada certeira do capitão Dany Massunguna, aos 88´, deu a vitória ao 1º de Agosto, ontem, sobre a Académica do Lobito, num desafio onde teve de sofrer bastante para sorrir no final, quebrando a resistência dos estudantes que souberam complicar o objectivos dos militares.A jogar em casa, os militares permitiram que os visitantes fossem os primeiros a rematar para a baliza, embora a bola tenha passado ao lado das redes defendidas por Tony Cabaça. Apesar da vontade demonstrada, os pupilos de Dragan Jovic não conseguiram incomodar com perigo o último reduto dos estudantes, que souberam tapar bem os caminhos para a sua baliza.
O técnico Paulino Júnior parece ter vindo com a lição bem estudada e traduziu em realidade as dificuldades esperadas pelos agostinos, com uma estratégia táctica que impedia com que os jogadores mais criativos do 1º de Agosto aparecessem no jogo.Apesar disso, os campeões nacionais foram os que mais criaram jogadas ofensivas, mas sem dar trabalho ao guarda-redes Fany, que limitava-se  a ver os seus colegas a anular os avançados rubro e negros, Kila e Mabululu.
À medida que o desafio decorria, esperava-se que os pupilos de Dragan Jovic mudassem de atitude, porém, os estudantes ganhavam confiança e Sony, aos 22´,apareceu isolado e quase adiantou a sua equipa no marcador, mas o remate saiu ao lado, com Tony Cabaça já batido.
Os militares pareciam não ter solução para desfazer-se da bem arrumada defesa adversária, que não se intimidou diante dos tricampeões nacionais em pleno estádio 11 de Novembro.No reatamento, Dragan jovic não perdeu tempo e mexeu nas suas peças, lançando Macaia e Ary Papel para os lugares de Mário e Buá, procurando alternativas para mudar o quadro existente.
 O empate não servia os objectivos dos agostinos que aceleram o passo e Ary Papel testou Fany com uma cabeçada, mas o guarda-redes negou o golo.O jogo estava lançado, os militares procuravam o golo e os estudantes queriam preservar o empate, que seria um resultado positivo para os seus intentos.  A Académica apostou no contra-ataque, onde cria dores de cabeça ao último reduto dos caseiros, que subiam bastante no terreno. Os estudantes acreditaram e obrigaram Tony Cabaça a defesas seguras.Coube, contudo, ao capitão Dany Massunguna, aos 88´, subir no terreno e cabecear para o fundo das redes de Fany, na sequência de um pontapé de canto, quebrando a sua invencibilidade no jogo.
  Depois disso, os estudantes atacara mais e chegaram a fazer estremecer o poste de Tony Cabaça, mas sem o sucesso desejado.A árbitra Tânia Duarte não teve influência no resultado do jogo. Acompanhou, de perto, as jogadas e sancionou técnica e disciplinarmente os lances que assim o exigia, embora tenha poupado alguns jogadores da Académica do Lobito de ver a cartolina amarela no primeiro tempo.

OPINIÃO DOS TÉCNICOS
Ivo Traça 1º de Agosto\"Foi uma partida difícil\"
\"Foi uma partida muito difícil. Nós sabíamos que a Académica iria nos criar muitas dificuldades, e dou os parabéns ao nosso adversário pelo jogo que fez. Depois do jogo passado sabíamos começamos a prepara este e antevíamos dificuldades, pois todos os desafios que fizermos com adversários que estão no meio da tabela de classificação ou lutam pela permanência serão com este grau. Preparamos a nossa equipa para isso e felizmente conseguimos uma vitória\".

PAULINO JÚNIOR 
Académica do Lobito\"A pressão surtiu efeito\"
\"Foi um resultado conseguido já no final do jogo. De tanta pressão o 1º de Agosto conseguiu marcar. Temos uma equipa muito jovem e a pressão do adversário acabou por surtir os seus efeitos. Nós tivemos as nossas oportunidades para marcar, mas não conseguimos concretizar e no futebol de alta competição essas situações pagam-se caro\".