Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

D`Agosto assusta com rugir do leo

05 de Julho, 2018

Militares voltam a ceder pontos numa tarde de fraca inspirao

Fotografia: Santos Pedro| Edies Novembro

Um Sporting de Cabinda bem organizado voltou a colocar o 1º de Agosto no caminho dos empates, ao impor ontem um rigoroso nulo no estádio 11 de Novembro. A artilharia militar foi impotente para abater um leão atrevido e que soube defender-se.
O campeão pode queixar-se de si mesmo pelo resultado, em função da falta de eficácia na finalização.  Criou inúmeras oportunidades para marcar, mas não conseguiu concretizar deixando os adeptos desolados já que esperavam pelo segundo triunfo consecutivo.
O primeiro aviso pertenceu aos caseiros com um remate de Chow aos 5´, para uma defesa instintiva de Langanga a negar o golo ao médio agostino. Os visitantes responderam numa jogada individual de Jó, que dentro da área, passou por dois adversários e reclamou um penálti, em consequência de empurrão de Dani Massunguna, que o árbitro não atendeu.
Minutos depois foi a vez de Mário rematar de fora da área para uma grande defesa do guarda-redes leonino. O jogo estava animado, apesar do sinal mais a pertencer aos militares, com maior posse de bola e quase chegaram ao golo aos 27´por Mongo, que rematou com o pé direito ao lado.
O Sporting de Cabinda fechou-se bem no seu meio-campo, criou dificuldades aos bicampeões nacionais, que apenas conseguiam importunar Langanga através de rasgos individuais dos seus jogadores.
A ansiedade voltou a tomar conta da formação rubro e negra, que corria para evitar regressar aos empates, depois da goleada motivadora na jornada passada sobre o Kabuscorp do Palanca. Os militares confirmaram as dificuldades em jogar com as equipas que não são do seu campeonato, pois, apesar de pressionar falharam na finalização.
Na etapa complementar, o 1º de Agosto operou duas alterações de uma só sentada com as entradas de Ibukun e Fofó, num claro sinal de Zoran Maki pretender mudar o rumo dos acontecimentos, já que o empate não fazia parte dos planos.
Os leões mantiveram a concentração defensiva e procuraram sair em contra-ataque, mas sem grande sucesso. Ainda assim, estavam mais focados em não sofrer o golo. A estratégia serviu os intentos, pois, na vertente táctica os pupilos de Emena Kuanzambi cumpriram com as exigências.
Com o cronometro a avançar para o final do jogo os agostinos subiram mais no terreno e criaram várias situações de perigo para baliza de Langanga, com Jacques e Mongo a estarem em evidência, mas sem surtir o efeito desejado.
O árbitro Nuno Eduardo pecou ao não assinalou uma grande penalidade a favor do Sporting de Cabinda nos minutos iniciais, uma situação que poderá ter condicionado o desfecho do desafio.